Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59066
Título em portugués: Caracterização físico-química e histológica do desenvolvimento de sapoti
Título em inglés: Physico-chemical and histological characterization of the development of sapodilla
Autor: Miranda, Maria Raquel Alcântara de
Filgueiras, Heloisa Almeida Cunha
Alves, Ricardo Elesbão
Soares, Arlete Aparecida
Benbadis, Abdellatif Kameleddine
Palabras clave : Manilkara zapota - Maturidade
Anatomia
Ponto de colheita
Fecha de publicación : 2008
Editorial : Revista Ciência Agronômica
Citación : MIRANDA, Maria Raquel Alcântara de et al. Caracterização físico-química e histológica do desenvolvimento de sapoti. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 39, n. 4, p. 575-582, out./dez. 2008.
Resumen en portugués: O sapoti é um fruto tropical com grande potencial de comercialização, porém ainda insuficientemente estudado. Objetivamos estudar o desenvolvimento do sapoti caracterizando alterações físicas, químicas e histológicas, procurando identificar índices de maturidade dos frutos. Os sapotis foram marcados no início do seu desenvolvimento apresentando 8 mm de diâmetro, colhidos após 45; 60; 90; 120; 150 e 180 dias e analisados quanto à massa fresca e seca, firmeza, comprimento, diâmetro, conteúdo de açúcares solúveis totais, de amido, de compostos fenólicos, produção de etileno e CO2 no climatério e caracterizados histologicamente por microscopia óptica. Verificou-se que os sapotis demoraram seis meses para alcançar sua maturidade fisiológica apresentando massa média de 127 g e diâmetros transversal e longitudinal médios de 61 mm e 49 mm, respectivamente. Nesse estádio, os frutos exsudavam pouco látex quando removidos da planta-mãe e possuíam aproximadamente 20% de açúcares solúveis totais e 4% de amido. O amadurecimento dos frutos colhidos aos 180 dias ocorreu ao 7º dia após a colheita com um padrão climatérico de respiração. Os estudos microscópicos mostraram que, após o climatério, o sapoti apresentou uma clara desorganização estrutural do tecido e ausência de células laticíferas.
Resumen en inglés: Sapodilla is a tropical fruit with great marketing potential that has not been investigated thoroughly. The objectives of the present study were to characterize the physical, chemical and histological changes of sapodilla and to identify harvest maturity indices relating these variables. Sapodilla were tagged at the beginning of the development with 8 mm in diameter, harvested after 45; 60; 90; 120; 150 and 180 days later and analyzed for fresh and dry weight, transversal and longitudinal diameters, total soluble sugars, starch and phenols contents, for CO2 and ethylene production and tissue histology with an optical microscope. Sapodilla reached the physiological maturity stage after six months with an average weight of 127 g and transversal and longitudinal mean diameters of 61 mm and 49 mm, respectively. At this stage, there was little latex seepage when fruits were detached from the plant and the total soluble sugars and starch contents were 20% and 4%, respectively. These fruit, harvested at 180 days, ripened 7º days later with a climacteric respiratory pattern and the microscopic studies showed that post-climacteric fruit presented a clear tissue disorganization and absence of latex cells.
URI : http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59066
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
ISSN : 1806-6690
Aparece en las colecciones: DBIO - Artigos publicados em revista científica

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
2008_art_mramiranda.pdf4,25 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.