Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/57477
Title in Portuguese: Limites da indústria cultura cearense do forró à formação humana omnilateral
Author: Albuquerque, Raoni Cunha Aragão de
Advisor(s): Chagas, Eduardo Ferreira
Keywords: Indústria Cultural
Forró
Filosofia
Sociologia
Arte
Issue Date: 2020
Citation: ALBUQUERQUE, Raoni Cunha Aragão de. Limites da indústria cultura cearense do forró à formação humana omnilateral. Orientador: Eduardo Ferreira Chagas. 2020. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.
Abstract in Portuguese: A presente pesquisa de mestrado buscou compreender como uma antiga manifestação cultural e festiva das classes populares brasileiras, denominada em meados do século XIX de forrobodó, e hoje de forró. Transformou-se, a partir do século XX, numa potente mercadoria a serviço do que Adorno e Horkheimer conceberam por indústria cultural. No Brasil, especialmente a partir dos anos 90, desenvolveu-se no Ceará uma específica indústria cultural do forró, presente em Fortaleza até hoje, fazendo com que a pesquisa em torno desse objeto merecesse uma investigação mais apurada. Além da finalidade geral, buscou-se identificar se tal conceito dos pensadores alemães se aplica à realidade brasileira e se existem contradições entre a grande indústria cultural e as vivências de professores de dança e músicos que sobrevivem do seu trabalho autônomo com forró. Para atingir esses objetivos, procurou-se exaurir possíveis determinações do objeto por meio das seguintes premissas categóricas: artístico-estética, filosófico-sociológicas e empíricas. Assim, realizou-se ampla revisão de literatura; buscando a etimologia do conceito forró e sua significação sociocultural através do espaço-tempo brasileiro; recortou-se a percepção do forró nas categorias manifestação artística e experiência social; realizou-se entrevistas semiestruturadas com professores de dança e músicos que vivem do seu trabalho autônomo com forró. Constatou-se o predomínio dessa indústria cultural em megaeventos populares, nos meios de comunicação de massa e no imaginário coletivo geral de Fortaleza. Entretanto, existem também outras formas de experimentar o forró que foge desse padrão estético e desse entretenimento conspícuo. Pequenas casas de show, bailes temáticos de dança de salão, eventos anuais promovidos inclusive pelos trabalhadores entrevistados mostram que as contradições entre a indústria cultural hegemônica e as classes populares são assimiladas de inúmeras formas.
Abstract: This master's research sought to understand how an ancient cultural and festive manifestation of the Brazilian popular classes, called in the mid-nineteenth century forrobodó, and today forró, became, from the twentieth century, a potent commodity at the service of what Adorno and Horkheimer conceived by cultural industry. In Brazil, especially from the 90s onwards, a specific cultural forró industry was developed in Ceará, present in Fortaleza until today, making the research on this object worthy of a more detailed investigation. In addition to the general purpose, we sought to identify whether such a concept by German thinkers applies to the Brazilian reality and to realize if there are contradictions between the great cultural industry and the experiences of dance teachers and musicians who survive from their autonomous work with forró. To achieve these objectives, we sought to exhaust possible determinations of the object through the following categorical premises: artistic-aesthetic, philosophical-sociological and empirical. Thus, we carried out a wide literature review; we sought the etymology of the forró concept and its sociocultural significance through the Brazilian space-time; we cut the perception of forró in the categories of artistic expression and social experience; we carried out semi-structured interviews with dance teachers and musicians who live from their autonomous work with forró. The predominance of this cultural industry was found in popular mega-events, in the mass media and in the general collective imagination of Fortaleza. However, there are also ways to experience forró that escape this aesthetic pattern and conspicuous entertainment. Small concert halls, themed ballroom dancing balls, annual events promoted even by the interviewed workers, show that the contradictions between the hegemonic cultural industry and the popular classes are assimilated in countless ways.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/57477
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGEB - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_dis_rcaalbuquerque .pdf1,55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.