Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/34015
Title in Portuguese: Análise dos conteúdos dos livros textos de Didática: reprodução ou transformação social?
Author: Amorim, Maria Luisa de Aguiar
Advisor(s): Damasceno, Maria Nobre
Co-advisor(s): Alvite, Maria Mercedes Capelo
Aguiar, Moacir Teixeira de
Jorge Filho, Paulo de Melo
Keywords: Concepção metafísica dos objetivos
Concepção individualista de mudança
Literatura Estrangeira
Didática
Issue Date: 1986
Citation: Amorim, M. L. A.; Damasceno, M. N.; Alvite, M. M. C.; Aguiar, M. T.; Jorge Filho, P. M. (1986)
Abstract in Portuguese: Esta dissertação foi elaborada a partir de nossa prática em Didática e da inquietação para encontrar formas e conteúdos significativos para o ensino da disciplina. A "Analise dos conteúdos dos livros textos de Didática: reprodução ou transformação social" teve como instrumental os livros mais utilizados por professores da disciplina nos cursos de Pedagogia e Licenciatura do Ceará. A investigação se deu no período de 1979 a 1988 envolvendo livros de circulação nacional mais veiculados no período. Tomamos como referencial metodo1ógico de análise, a dialética e em especial autores ditos ou reconhecidos como marxistas; não fizemos quaisquer triagem neles e os utilizamos na medida das necessidades de nossas argumentações. Aos livros textos de Didática Geral, acrescentamos outros sobre temas específicos também indicados pelos professores. Feita a leitura dos textos identificamos os temas básicos e demos o seguinte tratamento: na questão dos objetivos detivemos maior atenção por ser o momento em que se apreende com nitidez a politicidade da educação. Tratando-se do momento em que se definem as finalidades podemos observar o grau de concreticidade das propostas, a quem se dirige a educação, a quem serve e a quem deixa de servir. Construimos três categorias teóricas: a concepção metafísica dos objetivos, a concepção individualista de mudança e o uso e o abuso da literatura estrangeira. Observamos: o modo ahistórico e genérico com que são tratados o indivíduo e a sociedade, além da ausência de referências materiais para se construir objetivos para o ensino; a preocupação com a mudança dos comportamentos individuais sem alusão à perspectiva de transformação social evidenciando um falso e dicotômico tratamento dado à mudança e implicando numa pedagogia voltada para a adaptação social; e o uso e o abuso da literatura estrangeira. Quanto a esta última perplexidade, analisamos cinco autores mais citados: Dewey, Tyler, Gagné, Bloom e Mager. Além das características gerais de cada um dos estudiosos, observamos respectivamente: a filosofia (pragmatista), o currículo (funcionalista), os fundamentos psicológicos (comportamentalistas) a lógica (formal), e a operacionalização (mecanicista) dos objetivos. As concepções se articulam desde uma visão mais ampla de homem, até as práticas do planejamento em sala de aula. Além destas questões percebemos a dominação americana (EEUU) que reflete no âmbito pedagógico a dominação econômica e política à qual nos submetemos.Trabalhamos cada um dos outros aspectos da didática (conteúdos, metodologia e avaliação do ensino) em linhas gerais e sem o detalhamento dado aos objetivos. Na questão dos conteúdos observamos um silêncio que denuncia a ideologia e esconde os interesses políticos do conhecimento. A ênfase nos aspectos formais de articulação horizontal e vertical esconde questões essenciais, dificulta a visão de totalidade e facilita a fragmentação do saber. Além disso, há um falso tratamento quanto à concepção e as relações teoria e prática. Na questão metodológica partimos das relações métodos e finalidades, definição de valores e modos de produção social. Identificamos o falso tratamento histórico dado aos métodos e caracterizamos os métodos e técnicas apresentados como modos burgueses de ensinar. Também constatamos a riqueza das práticas metodológicas procurando analisar as técnicas individuais e grupais. Identificamos, ainda o reforço ao individualismo e à competitividade e além disso, a busca de disfarçar os conflitos e atingir um consenso ideológico, servindo como recurso disciplinador do cotidiano das salas de aula. Quanto à avaliação observamos na diversidade de instrumentos o serviço à prática da seleção e classificação com vistas a participação discriminadora da produção capitalista. Atentamos para a omissão da relação rendimento escolar e situação sócio-econômica dos alunos. Analisamos o conceito, as funções gerais e específicas, a relação avaliação-medida e, ainda, as técnicas e instrumentos. Observamos a base mecanicista e comportamentalista sobre as quais se assentam os instrumentos, o favorecimento à desvinculação teoria-prática, a ênfase ao dogmatismo do saber, à fragmentação do conhecimento na construção dos itens e, ainda a busca de uma falsa neutralidade. Concluindo, observamos que a literatura veiculada favorece, via de regra, aos professores, uma visão de mundo que colabora no processo de reprodução social dominante capitalista em detrimento de uma visão que colabore na transformação social com vistas a uma perspectiva igualitária, socialista, democrática de vida coletiva. Resta a preocupação com a formação de professores despreparados para enfrentar a realidade social contraditória, sem um método de análise e interferência que facilite uma visão articulada da teoria-prática, trabalho manual-intelectual, indivíduo-sociedade, abstrato-concreto, parte-todo, enfim, sem instrumentos lógicos de compreensão do real na perspectiva dialética. A má qualidade da literatura prepara para o trato com um aluno idealizado, solidifica a realidade social injusta que não é questionada, fundamenta-se em pseudo-ciências que mais servem à submissão do que servem como resposta à realidade brasileira; a preocupação com as aparências formais em detrimento dos conteúdos essenciais sequer prepara o professor para uma visão de classe e organização política emancipadora. Por fim, enunciamos, em linhas gerais, uma experiência que procura superar os limites bibliográficos da disciplina Didática.
Description: AMORIM, Maria Luisa de Aguiar. Análise dos conteúdos dos livros textos de Didática: reprodução ou transformação social?. 1986. 271f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Mestrado em Educação, Fortaleza (CE), 1986.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/34015
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGEB - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
1986_dis_mlaamorim.pdf177,3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.