Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13228
Title in Portuguese: O ensino de química para alunos surdos: desafios e práticas dos professores e interpretes no processo de ensino e aprendizagem de conceitos químicos traduzidos para libras.
Title: Teaching of chemistry for deaf students: challenges and practices of teachers and interpreters in the process of teaching concepts of chemical translated to libras.
Author: Reis, Esilene dos Santos
Advisor(s): Almeida, Maria Mozarina Beserra
Co-advisor(s): Lima, Isaías Batista de
Keywords: Química - estudo e ensino
Surdos - educação
Língua brasileira de sinais
Issue Date: 2015
Citation: REIS, Esilene dos Santos. O ensino de química para alunos surdos: desafios e práticas dos professores e interpretes no processo de ensino e aprendizagem de conceitos químicos traduzidos para libras. 2015. 121 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.
Abstract in Portuguese: Desde a promulgação das leis que asseguram o processo de inclusão, a escolarização do aluno surdo, em especial nas turmas de ensino regular, vem ganhando espaço nas pesquisas acadêmicas. Para garantir a educação do aluno surdo, é necessária uma rede de apoio, na qual se destaca a figura do intérprete, responsável na tradução e interpretação dos conteúdos curriculares, uma vez que maioria dos professores do ensino médio não são fluentes na Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Diante dessa realidade, a presente pesquisa buscou investigar a atuação dos Professores de Química e Intérpretes no processo de ensino-aprendizagem dos alunos surdos que cursam o Ensino Médio, destacando as dificuldades encontradas para docência de Química e as metodologias que vem sendo utilizadas para facilitar a compreensão dos conceitos e termos científicos que não se encontram nos dicionários de Libras. O tipo de pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso, este foi realizado em duas escolas públicas do Estado do Ceará, sendo uma das escolas bilíngue. A técnica utilizada para obtenção de dados foi aplicação de questionários com questões semiestruturadas. Os resultados da pesquisa foram organizados por categorias a partir da análise de dados, sendo que os relatos dos entrevistados foram analisados a partir de referencial teórico que embasou a discussão acerca do tema pesquisado. O resultado da pesquisa demonstrou que o principal entrave para inclusão do aluno surdo no ensino regular se dá por conta da comunicação, prejudicada pela carência de sinais em Libras para conceitos científicos de química. Tal situação motiva intérpretes e professores a procurarem meios de minimizar essa carência de sinais, fazendo com que estes criem seus próprios sinais em Libras para conceitos químicos. No que se refere aos recursos didáticos que favorecem a aprendizagem de química, verificou-se que a utilização dos recursos midiáticos, em especial aqueles que estimulam a visão, são essenciais e aumentam consideravelmente as chances do aluno aprender o que lhe é ensinado. Ao final da pesquisa, concluiu-se que a falta de metodologias que atendam a especificidade linguísticas dos surdos e a falta de planejamento conjunto entre professor e intérprete, pode acarretar prejuízos na escolarização dos alunos com surdez. Há uma necessidade de iniciativas que visem a melhoria no ensino de Química para alunos com surdez, uma delas é a elaboração e a divulgação de terminologias químicas na língua brasileira de sinais.
Abstract: Since the enactment of the laws that ensure the processes of inclusion, the education of deaf students, especially in regular classes, has been gaining ground in academic research. To ensure the education of deaf students, a support network is needed, in which the figure of the interpreter is highlighted due to the activeness in translation and interpretation of curriculum content, as most high school teachers are not fluent in Brazilian Sign Language – LIBRAS. Given this reality, the present study sought to investigate the actions of the Chemistry teachers and interpreters in the teaching-learning process of deaf students who attend high school, highlighting the difficulties in teaching Chemistry and the methodologies that have been used to ease the understanding of scientific concepts and terms that are not in Libras dictionaries. The type of research is characterized as a case study, which was carried out in two public schools in the state of Ceará (one of them is a bilingual school). The technique used to obtain data was based on questionnaires with semi-structured questions. The survey results were organized by categories, considering the data analysis; the reports of the interviewees were then analyzed based on the theoretical framework that conducted the discussion on the researched subject. The result of the research showed that the main obstacle to inclusion of deaf students in regular education occurs due to the communication, hampered by the lack of signs in Libras for scientific concepts in Chemistry. This situation motivates interpreters and teachers to seek ways to minimize this gap, leading them to create their own signs in Libras to represent chemical concepts. With regard to the educational resources that favor Chemistry learning, it was found that the use of media resources, particularly those that stimulate vision, are essential and greatly increase the chances of the students to learn what is taught. At the end of the survey, it was concluded that for there to be improvements in chemistry teaching for deaf students are required the preparation and disclosure of chemical terminology in Brazilian sign language, since the absence of appropriate signals can interfere with the learning of concepts that discipline.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13228
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:ENCIMA - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_dis_esreis.pdf991,83 kBAdobe PDFView/Open
2015_dis_esreis2.pdfProduto educacional816,1 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.