Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/63863
Title in Portuguese: Efeitos da auriculoterapia na redução de náuseas e vômitos em gestantes: ensaio clínico randomizado
Author: Fróes, Nathaly Bianka Moraes
Advisor(s): Aquino, Priscila de Souza
Keywords: Auriculoterapia
Gravidez
Náusea
Enfermagem
Issue Date: 2022
Citation: FRÓES, N. B. M. Efeitos da auriculoterapia na redução de náuseas e vômitos em gestantes: ensaio clínico randomizado. 2021. 98 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2022. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/63863. Acesso em: 10 fev. 2022.
Abstract in Portuguese: Objetiva-se avaliar os efeitos da auriculoterapia na redução de náuseas, vômitos e esforço de vômitos durante o primeiro trimestre da gravidez. Estudo experimental, do tipo ensaio clínico controlado randomizado, realizado em Fortaleza, em duas Unidades de Atenção Primária à Saúde. Participaram do estudo gestantes com idade gestacional de até 13 semanas e 6 dias que relataram queixa de náusea e/ou vômito. As participantes foram divididas em grupo intervenção (auriculoterapia com sementes) e grupo placebo (sham points); os dois grupos receberam igualmente orientações alimentares para alívio de náuseas conforme preconizado pelo Ministério da Saúde. Ao final do estudo, 56 gestantes foram avaliadas, 28 no grupo intervenção e 28 no grupo placebo. A intervenção foi dividida em três momentos: pré-intervenção, com avaliação dos sintomas de náuseas, vômito e esforço de vômito, questionário clínico, sociodemográfico e sobre hábitos alimentares, seguido de mais dois momentos, sendo estes o 1º e 2º follow ups, realizados no 4º e 7º dias de intervenção, nos quais foram reavaliados os sintomas de náuseas, vômito e esforço de vômito,. Os dados foram tabulados e analisados pelo programa Statistical Package for The Social Sciences, versão 24.0. Os aspectos éticos foram respeitados. Percebeu-se redução de náuseas e vômitos em ambos os grupos com o tempo, porém, não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos, apesar de se observar redução maior no grupo intervenção. Verificou-se diferença estatisticamente significativa na análise comparativa da redução de náuseas intragrupos, do início para o primeiro follow-up, do primeiro para o segundo e do início para o segundo follow up. As variáveis que apresentaram correlação com a redução dos sintomas de náuseas e vômitos durante o estudo com toda a amostra foram idade (em anos) e tempo decorrente até o 1º follow up; idade gestacional número de gestações no grupo placebo; IMC e início dos sintomas no grupo intervenção. Gestantes do grupo intervenção tiveram maiores sintomas de náuseas e vômitos dentre as usuárias de sulfato ferroso e dentre àquelas que não relataram interferência alimentar. Uso de analgésicos, lanche da manhã, não ingestão de proteína, verduras legumes e frutas estiveram associados a maiores sintomas de náuseas e vômitos. Considera-se que a intervenção utilizada apresentou eficácia na redução dos sintomas de náuseas, vômitos e esforço de vômito de maneira geral, quando avaliamos ao longo da intervenção. Acredita-se que novos ensaios clínicos devam ser realizados, com maior disponibilidade de tempo e de profissionais, para que seja possível obter um maior número de sessões de auriculoterapia, obtendo assim mais dados para analisar com maior precisão os efeitos da intervenção nos sintomas de náuseas, vômitos e esforço de vômito do início da gestação.
Abstract: The aim of this study is to evaluate the effects of auriculotherapy in the reduction of nausea, vomiting and retching during the first trimester of pregnancy. Experimental study, randomized controlled trial, carried out in Fortaleza, in two Primary Health Care Units. Pregnant women up to 13 gestational weeks with symptoms of nausea and vomiting were enrolled in the study. Participants were divided in two groups: intervention (auriculotherapy with seeds) and placebo (sham points), both groups also received dietary orientations, as recommended by the Ministry of Health. At the end of the study, 56 pregnant women participated, 28 in the intervention group and 28 in the placebo group. The intervention had three moments: pre-assessment with measurement of the symptoms of nausea, vomiting and retching, sociodemographic, clinical and dietary habits questionnaire, followed by two more moments, the 1st and 2nd follow ups, performed during the 4th and 7th days of intervention, in which the symptoms of nausea, vomiting and retching were re-evaluated. Data were tabulated and analyzed using the Statistical Package for the Social Sciences program, version 24.0. Sciences, versão 24.0. Ethical aspects were respected. There was a reduction in nausea and vomiting in both groups over time, however, there was no significant difference between the groups, despite perceiving larger reduction in the intervention group. There was a statistically significant difference in the comparative analysis of the nausea reduction intragroups, from baseline to the first follow-up, from the first to the second follow up and from the baseline to the second follow-up. The variables that were related with reduced symptoms of nausea and vomiting during the study were: age (in years) gestational age and time of symptoms up until the 1st follow up; gestational age and number of pregnancies in the placebo group; BMI and onset of symptoms in the intervention group. Pregnant women in the intervention group were amongst the ones in use of ferrous sulfate and that did not referred food interference related to the symptoms of nausea and vomiting. Use of painkillers, morning snacks intake, lack of protein intake, lack of vegetables/legumes intake, lack of fruit intake and food interference related to nausea and vomiting were associated with increased symptoms of nausea and vomiting. The intervention presented efficacy in the reduction of nausea, vomiting and retching symptoms in a global manner, evaluating the onset of the intervention. New clinical trials are believed to be performed, with more professionals and time availability, so that an increased number of auriculotherapy sessions may be possible, obtaining wider data for better precision in analyzing the effects of the intervention in the symptoms of nausea, vomiting and retching.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/63863
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2022_dis_nbmfroes.pdf1,44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.