Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/49656
metadata.dc.type: Dissertação
Título em portugués: O Espelho de Machado de Assis em língua inglesa: tradução, retraduções e recepção
Autor: Silva, Luciana Alves da
Tutor(es): Freitas, Luana Ferreira de
Fecha de publicación : 2019
Palabras clave : Estudos da Tradução
Machado de Assis
Citación : SILVA, Luciana Alves da. "O Espelho" de Machado de Assis em língua inglesa: tradução, retraduções e a recepção. 2019. 154f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução, Fortaleza (CE), 2019.
Resumen en portugués: A presente pesquisa visa analisar uma tradução e quatro retraduções do conto “O espelho”, de Machado de Assis, para a língua inglesa. A internacionalização da obra de um dos mais famosos escritores brasileiros, frequentemente comparado a grandes nomes da literatura mundial, não é um fenômeno recente, pois no mercado anglófono, seus romances, contos e crônicas têm sido traduzidos e retraduzidos desde os anos 1920. Exímio contista, gênero no qual muitos estudiosos acreditam que tenha alcançado o auge de sua maestria literária, Machado de Assis publicou 218 contos, dentre os quais boa parte já foi traduzida para a língua inglesa. “O espelho” é um dos contos mais famosos do escritor, obra que contém muitas características do estilo machadiano e alguns dos temas mais recorrentes em sua ficção, tendo sido traduzido e retraduzido para a língua inglesa por W.L. Grossmann e Helen Caldwell (1963), Wilson Loria (1995), John Gledson (2008), John Chasteen (2013), e Margareth Jull Costa e Robin Patterson (2018). Nesta pesquisa, veremos uma análise comparativa das cinco versões lançadas no contexto literário anglófono, mais especificamente nos mercados editoriais estadunidense e britânico. Observando conceitos de retradução, discutiremos a recepção da obra machadiana nos contextos de chegada, além de examinarmos aspectos linguísticos e intertextuais a partir do esquema teórico proposto por José Lambert e Henrik Van Gorp (1985), elaborado para uma abordagem descritiva de traduções literárias.
Resumen en inglés: This research aims to analyze one translation and four retranslations of the short story “O espelho”, by Machado de Assis to the English language. The internationalization of the fiction of one of the most famous brazilian writers, who is often compared to great names of the world literature, is not a recent phenomenon, since his novels, short stories and chronicles have been translated and retranslated since the 1920’s in the english-speaking market. An outstanding short story teller, genre in which many scholars believed that he has reached the top of his literary excellency, Machado de Assis published 218 short stories, among which, many have been translated into English.“O espelho” is one of the most analysed short stories of the author, a literary work that contains many characteristics of Machado’s style and some of the most common themes in his fiction, that has been translated and retranslated into English by por W.L. Grossmann & Helen Caldwell (1963), Wilson Loria (1995), John Gledson (2008), John Chasteen (2013), and Margareth Jull Costa & Robin Patterson (2018). In this research, we have a comparative analysis of the five versions released in the anglophone literary context, specially in the American and British editorial market. Considering concepts of retranslation, we discuss the reception of Machado’s work in the reception context, besides examining linguistics and intertextual aspects from the theoretical scheme proposed by Jose Lambert and Henrik Van Gorp (1985), created to a descriptive approach of literary translation.
URI : http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/49656
Aparece en las colecciones: POET - Dissertações defendidas na UFC

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
2019_dis_lasilva.pdf1,01 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.