Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26054
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAguiar, Odílio Alves-
dc.contributor.authorCosta, Edson Ferreira da-
dc.date.accessioned2017-09-23T14:35:06Z-
dc.date.available2017-09-23T14:35:06Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.citationCOSTA, Edson Ferreira da. Noção de circunstância no raciovitalismo de Ortega y Gasset. 2010. 122 f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Filosofia, Fortaleza (CE), 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26054-
dc.description.abstractThe dissertation on “The notion of circumstance in the ratiovitalism of Ortega y Gasset” develops fundamentally the concept of circumstance as an essential category in the comprehension of the Ortegan ratiovitalism. In the first chapter, it begins with a brief historical report, defending the idea that the work of the philosopher is, by nature, circumstantial, and that the philosophical content present in this concept derives from the problem of unbalance between Spain and the other European countries in the 19th and 20th centuries. In the next chapter, one meets the question posed by Marías, which is the relation between circumstance and Metaphysics. Reality bases itself on the radical reality, which is one’s own life, and life constitutes itself necessarily in the involvement with circumstance, thus developing into a perspective view that considers circumstance as an element of humanity. To understand man as a being with its circumstance implies considering that human life is a process that goes between authenticity and alteration, with the possibility of humanization. Man, as the protagonist of his life, takes possession of circumstance as a vital element for his existence, but this same circumstance, integrated to life, may assume another dimension. Ortega y Gasset understands that circumstance is always alteration, and, thus, escapes the original dimension of human. It happens that man, for being a quehacer, may mingle with circumstance. That means man can, through an absolute speech, identify himself with some circumstantial element, recognizing his own being in it. The mass-man is the prototype of this man, that, being altered, leaves the state of being with his circumstance to turn into the circumstance itself. In this way, it is considered that the concept of circumstance is a key-concept to comprehending the Ortegan work.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectRealidadept_BR
dc.subjectFilosofia espanholapt_BR
dc.subjectRaciovitalismopt_BR
dc.subjectRatiovitalismpt_BR
dc.subjectLifept_BR
dc.titleNoção de circunstância no raciovitalismo de Ortega y Gassetpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.abstract-ptbrA dissertação sobre “A noção de circunstância no raciovitalismo de Ortega y Gasset” desenvolve, fundamentalmente, o conceito de circunstância como categoria fundamental na compreensão do raciovitalismo orteguiano. Parte-se, no primeiro capítulo, de um breve relato histórico, defendendo a ideia de que a obra do filósofo é por natureza circunstancial, e que o conteúdo filosófico, presente neste conceito, parte da problemática do desnível da Espanha em relação aos demais países da Europa dos séculos XIX e XX. Depara-se, no capítulo seguinte, com uma questão posta por Marías, que é a relação entre circunstância e Metafísica. A realidade fundamenta-se desde a realidade radical, que é a vida de cada um; e esta, necessariamente, constitui-se no envolvimento com a circunstância, desencadeando, assim, uma visão perspectivista em que compreende a circunstância como elemento constitutivo do humano. Entender o homem como ser com sua circunstância implica em considerar que a vida humana é processo que transita entre a autenticidade e a alteração, podendo ou não humanizar-se. Por um lado, o homem, como protagonista de sua vida, apropria-se da circunstância como elemento vital para seu existir, porém, essa mesma circunstância, que se integra à vida, pode ocupar outra dimensão. Ortega y Gasset entende que a circunstância é sempre alteração e, por conseguinte, escapa à dimensão original do humano. Ocorre que o homem, por ser um que hacer, pode confundir-se com ela. Isso significa que o homem pode, através de um discurso absoluto, identificar-se com algum elemento circunstancial, reconhecendo, neste, o seu próprio ser. O homem-massa é o protótipo desse homem que, alterado, deixa de ser com sua circunstância, passando a ser a própria circunstância. Considera-se, dessa forma, que o conceito de circunstância é um conceito chave para compreensão da obra orteguianapt_BR
Appears in Collections:PPGFILO - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_dis_efcosta.pdf555,77 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.