Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/7583
Title in Portuguese: Bioética com o sentido de ética da vida: uma experiência educadora
Title: Bioethics in the sense of ethics of life: an educator experience
Author: Silva Neto, Francisco Ursino da
Advisor(s): Dias, Ana Maria Iorio
Keywords: Ethics, Bioethics, Ethics of life, philosophy of education
Filosofia da educação
Bioética
Ética da vida
Issue Date: 2011
Publisher: www.teses.ufc.br
Citation: SILVA NETO, Francisco Ursino da. Bioética com o sentido de ética da vida: uma experiência educadora. 2011. 173f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2011.
Abstract in Portuguese: Esta pesquisa é sobre um fato educativo, o saber bioético, que tem como especificidade o movimento, a ação refletida e a prática de educar em que o caráter utópico é essencial. Aqui, utopia deve ser interpretada não como um sonho desconectado da realidade, mas no sentido de radicado, enraizado no real da educação. O objetivo geral da pesquisa é compreender o sentido do que justifica o saber bioética hoje, sendo este saber referente ao campo da educação e tomado em sua amplitude de condição possível de ensino. O percurso metodológico caminhadiço foi uma incorporação gradativa da espiral hermenêutica que ressignificou os nossos questionamentos passo a passo. Realizamos um breve inventário dos significados de bioética, destacando os seguintes: ponte para o futuro, mediação do conflito ciência x moral e resistência ao biopoder. Estes significados, embora façam interface, não se movem a partir da educação. Então, buscamos construir um novo significado pertinente ao nosso campo. Entretanto, este objetivo não poderia ser atingido adequadamente se não fosse embasado em um estudo prévio das condições de justificativa das relações entre educação e ética. Tal investigação foi um resgate genealógico do tema na Grécia clássica. Iniciamos rastreando a palavra areté que, semente do significado de ética, nos revelou o sentido de bíos (vida qualificada) como forma de vida humana que a tradição filosófica hegemônica aqui representada pela tríade Sócrates-Platão-Aristóteles construiu em referência ao significado originário de zoé (vida em geral). O bíos foi fruto de relações co-originárias e co-pertencentes a partir de quatro dimensões: a ética (ethos), a educação (paideia), a política (politiké) e o pensamento/linguagem (lógos). Ele se vela ou se desvela, como ser, a partir do foco para onde se direciona o olhar e que se percebe como visão calidoscópica. Em cotejo com o pensamento grego clássico, trouxemos Nietzsche que justificou a condição humana na própria existência da vida fática e com isso abriu caminho para o pensamento contemporâneo. Esse exercício foi a base articuladora da pesquisa que desenvolveu o sentido de bioética em educação quando se fez presente um amplo diálogo com vários interlocutores, dentre eles estudantes de graduação em medicina. O próximo passo foi ousado. A construção de um significado de bioética para o campo da educação: ética-da-vida. Com ele, nos situamos em oposicionalidade ao conceito de bíos da tradição filosófica. Isto se dá porque éticada- vida se manifesta como potência de vida e não como forma. Essa potência cada um de nós, diferentemente, tem ao viver a própria vida e sua perspectiva do modo dela. Ética-da-vida é um saber afirmativo de vida, potencialidade criadora, é um saber-tempo que se vive. A condição de possibilidade do ensino de tal saber hoje não pode ser uma lei universal, inequívoca para todos. Aqui está o requisito da justificativa que buscávamos: o sentido do ensino de bioética no mundo contemporâneo exige um modo de educar que se encontra na concepção de educação como possibilidade de alimentar. O alimento concreto que cada um de nós pode adquirir é sabedoria de vida. Finalmente, se põe a tese que expusemos assim: a bioética justifica-se como saber contemporâneo a partir de duas condições. A primeira, mediante a exigência de um significado apropriado à educação que chamamos ética-da-vida; e a segunda, por intermédio da prática deste saber que se dá na experiência educadora que alimenta como uma sabedoria de vida. O exercício acadêmico solicita-nos, como pesquisadores, a atitude de posicionarmo-nos face à nossa “descoberta”. Este foi o nosso exercício de ser criança: dele eclodiu a invenção do devirSócrates, o portador da aionética.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/7583
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGEB - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2011-TESE-FUSNETO.pdf895,28 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.