Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/52251
Title in Portuguese: As concepções de Professoras e de Auxiliares sobre a atuação docente promotora de práticas educativas de boa qualidade com bebês
Author: Silva, Kátia Cristina Fernandes e
Advisor(s): Cruz, Rosimeire Costa de Andrade
Keywords: Educação Infantil
Creche
Docência
Bebês
Issue Date: 2019
Citation: SILVA, Kátia Cristina Fernandes e. As concepções de Professoras e de Auxiliares sobre a atuação docente promotora de práticas educativas de boa qualidade com bebês. 2019. 249f - Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação, Fortaleza (CE), 2019.
Abstract in Portuguese: O presente estudo analisou as concepções de professoras e de auxiliares que atuam em creche sobre a atuação docente promotora de práticas educativas de boa qualidade com os bebês em instituições com propostas pedagógicas distintas. Sua base teórica foi constituída, essencialmente, pelas contribuições da corrente Sócio Histórica do desenvolvimento humano de Vigotski (2007) e Wallon (2007) e de pesquisadores do campo da Pedagogia da Infância (OLIVEIRA-FORMOSINHO, 2001; OLIVEIRA-FORMOSINHO, KISHIMOTO e PINAZZA, 2007; FORTUNATI, 2009; BARBOSA, 2009 e 2010; FREIRE, 2014). A investigação teve como principais pressupostos a compreensão de que a docência com bebês denota singularidades que envolvem aspectos como saberes (TARDIF, 2002; TARDIF e LESSARD, 2011; CAMPOS e ROSEMBERG, 1995; MACHADO 1998; GARCIA et al, 2018) e crenças (OLIVEIRA-FORMOSINHO, 2011) e de que os contextos influenciam as práticas educativas (OLIVEIRA-FORMOSINHO, 2002; TOBIN et al, 2008). Os dados foram construídos com base na abordagem qualitativa, mais especificamente, inspirados nos estudos etnográficos (ANDRÉ, 1995; BOGDAN e BIKLEN, 2006; LAKATOS e MARCONI, 2003), em duas turmas de bebês, em duas creches situadas em Fortaleza, com Propostas Pedagógicas distintas. Para tanto, foram utilizados os seguintes procedimentos: observação participante, entrevistas semiestruturadas individual e coletiva com as professoras e as auxiliares, responsáveis pelas turmas, consulta a documentos e aplicação de questionário. Os registros foram realizados em diário de campo, fotografias e gravador de áudio. A análise dos dados indica que: 1) “práticas educativas de boa qualidade” vinculam-se a “condições objetivas do contexto imprescindíveis para que aconteçam”, como materiais e espaços; a “características que não podem faltar na relação com as crianças”, como afeto, diálogo, cuidado, atenção e respeito (creche pública); e à “intencionalidade pedagógica”, como ensinar conteúdos que as crianças têm que aprender (creche particular); 2) “professora de bebês” corresponde à imagem de alguém que precisa “ter” atributos específicos, como conhecimentos sobre afetividade/emoção, responsabilidade e paciência (creche pública); cuidar e “dar” atenção; “mostrar e chamar” a professora para registrar os possíveis avanços da criança (creche particular) e “fazer” determinadas “tarefas”, como entender a criança, solucionar conflitos, diferenciar o choro das crianças (creche pública), enfrentar desafios, fazer descobertas e ensinar as crianças a esperar (creche particular); 3) as propostas pedagógicas em curso nas instituições contribuem para que as profissionais apontem diferentes saberes necessários à professora para que possa realizar práticas educativas de boa qualidade, dentre eles: a importância das interações entre os bebês e as crianças mais velhas; a adequação do planejamento às necessidades e interesses das crianças (creche pública); e a organização das crianças por meio da “fala/monólogo/música” para que cumpram os comandos do adulto (creche particular); 4) a principal fonte de saber para o desenvolvimento de práticas educativas de boa qualidade com os bebês não é o curso de Pedagogia; os saberes são decorrentes, sobretudo, do modo como cada sujeito vivenciou determinada prática, notadamente, em outros contextos formativos distintos da universidade, ou por tentativas de erros e acertos.
Abstract: The present study analyzed the conceptions of teachers and assistants who work in daycare about the teaching performance that promotes good quality educational practices with babies in institutions with different pedagogical proposals. Its theoretical basis was constituted essentially by the contributions of the current Historical Partner of Human Development of Vigotski (2007) and Wallon (2007) and researchers from the field of Pedagogy of Childhood (OLIVEIRA-FORMOSINHO, 2001; OLIVEIRA-FORMOSINHO, KISHIMOTO and PINAZZA, 2007; FORTUNATI, 2009; BARBOSA, 2009 and 2010; FREIRE, 2014). The research had as main assumptions the understanding that teaching with babies denotes singularities involving aspects such as knowledge (TARDIF, 2002; TARDIF and LESSARD, 2011; CAMPOS and ROSEMBERG, 1995; MACHADO 1998; GARCIA et al, 2018) and beliefs (OLIVEIRA-FORMOSINHO, 2011) and that contexts influence educational practices (OLIVEIRA-FORMOSINHO, 2002; TOBIN et al, 2008). The data were constructed based on the qualitative approach, more specifically, inspired by ethnographic studies (ANDRÉ, 1995; BOGDAN and BIKLEN, 2006; LAKATOS and MARCONI, 2003), in two groups of babies, in two nurseries located in Fortaleza, with Proposals. Distinct pedagogicals. For this, the following procedures were used: participant observation, individual and collective semi-structured interviews with the teachers and assistants, responsible for the classes, document consultation and questionnaire application. The records were made in field diary, photographs and audio recorder. The data analysis indicates that: 1) “good quality educational practices” are linked to “objective conditions of the context that are essential for them to happen”, such as materials and spaces; “characteristics that cannot be lacking in the relationship with children”, such as affection, dialogue, care, attention and respect (public daycare); and to “pedagogical intentionality”, how to teach content that children have to learn (private nursery); 2) “baby teacher” corresponds to the image of someone who needs to “have” specific attributes, such as knowledge about affectivity / emotion, responsibility and patience (public daycare); take care and “give” attention; “Show and call” the teacher to record the possible advances of the child (private daycare) and “do” certain “tasks”, such as understanding the child, solving conflicts, differentiating children's crying (public daycare), facing challenges, making discoveries and teach children to wait (private nursery); 3) the pedagogical proposals underway in the institutions contribute to the professionals to point out different knowledge needed by the teacher so that she can perform good quality educational practices, among them: the importance of interactions between babies and older children; the adequacy of planning to the needs and interests of children (public daycare); and the organization of children through “speech / monologue / music” to fulfill the adult's commands (private nursery); 4) the main source of knowledge for the development of good quality educational practices with babies is not the Pedagogy course; knowledge derives, above all, from the way each subject experienced a particular practice, notably in other formative contexts other than the university, or through attempts at errors and successes.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/52251
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGEB - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_tese_kcfesilva.pdf2,5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.