Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/49096
Title in Portuguese: A compreensão de unidades fraseológicas por crianças de 4 a 7 anos
Author: Nogueira, Aline Rodrigues
Advisor(s): Monteiro-Plantin, Rosemeire Selma
Keywords: Fraseologia
Compreensão fraseológica de crianças
Psicolinguística experimental
Issue Date: 2019
Citation: NOGUEIRA, Aline Rodrigues. A compreensão de unidades fraseológicas por crianças de 4 a 7 anos. 2019. 241f - Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Linguística, Fortaleza (CE), 2019.
Abstract in Portuguese: Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar a compreensão que as crianças têm de sentenças de sentido figurado como ser dedo-duro e tirar o cavalinho da chuva, investigando quando e como as crianças vem a compreendê-las. Expressões de sentido não-composicional, ou seja, que não podem ser compreendidas pela soma de seus elementos constituintes, e sim, apenas pelo acesso ao sentido metafórico. Em consonância com Monteiro-Plantin (2012), elas são denominadas nesta tese de unidades fraseológicas (UFs). As unidades fraseológicas fazem parte do universo cultural compartilhado pelos falantes de uma determinada língua e podem representar uma tarefa difícil para as crianças, as quais são comumente vistas como falantes com dificuldade de compreensão do sentido figurado e que tendem à literalidade. Entretanto, mesmo crianças jovens em início de vida escolar já possuem uma vivência linguística considerável, mesmo que limitada, oriunda de suas experiências corpóreas, da interação com falantes experientes e do acesso aos produtos culturais destinados a elas (livros, vídeos na Internet, músicas, desenhos animados, etc). Esta pesquisa se propõe a analisar a compreensão que crianças nesta faixa etária tem das unidades fraseológicas, esmiuçando os fatores que influenciam esta compreensão, bem como as táticas e estratégias adotadas por estes sujeitos no processo e com base nos dados obtidos, elaborar um modelo de processamento fraseológico de crianças de 4 a 7 anos de idade. Trata-se de uma pesquisa experimental de natureza quantiqualitativa, que se utiliza de uma interface entre os campos da Fraseologia, da Psicolinguística Experimental e da Linguística Cognitiva ancorada nos trabalhos de Gibbs (1980,1987), Castillo Carballo (2002), Lakoff e Johnson (2003), Monteiro-Plantin (2012) e Ortiz-Alvarez (2015) e nos experimentos conduzidos por Irujo (1986), Levorato e Cacciari (1999), Crespo e Cáceres (2006), Mini, Diakogiorgi e Fotopoulou (2011), Caillies e Le Sourn-Bissaoui (2006) e Siqueira et al (2017). Os sujeitos são quarenta crianças de ambos os sexos divididas em dois grupos: 4- 5 anos e 6-7 anos, estudantes de escolas públicas e particulares da cidade de Juazeiro do NorteCeará, além de dez estudantes universitários como grupo de referência. Os dados foram analisados através do programa de computador SPSS (Statistical Package for Social Sciences) e tiveram um tratamento quantitativo e qualitativo. Os resultados indicam que os sujeitos possuem nível intermediário de compreensão fraseológica, que a analisibilidade semântica tem especial influência para crianças mais jovens e que os tipos de Ufs mais facilmente compreendidos pelas crianças de 4 a 7 anos são os somatismos e gastronomismos. Com base nos dados coletados concluímos que enquanto as crianças de 4-5 anos priorizam táticas focadas no acesso lexical, as crianças de 6-7 anos preferem fazer uso de estratégias relacionadas à informação contextual.
Abstract: The main objective of this research is analyzing children’s understanding of figurative meaning sentences as ser dedo duro and tirar o cavalinho da chuva, investigating when and how children come to understand them. These expressions are non-compositional, that is, they cannot be understood by the sum of its constituent elements, but only by access to the metaphorical meaning. In agreement with Monteiro-Plantin (2012), they are denominated in this thesis as phraseological units (Ufs). The phraseological units are part of the cultural universe shared by the speakers of a given language and can represent a difficult task for the children, which are commonly seen as speakers with difficulties to understand the figurative meaning that tend to literality. However, even young children in early school life already have a considerable linguistic experience, even if limited, from their bodily experiences, interaction with experienced speakers and access to cultural products intended for them (books, Internet videos, music, cartoons, etc). This research proposes to analyze the understanding that children in this age group have of the phraseological units, scrutinizing the factors that influence this understanding, as well as the tactics and strategies adopted by these subjects in the process and based on the obtained data, to elaborate a phraseological processing model of children from 4 to 7 years of age. This is an experimental research of a quantitative-qualitative nature, using an interface between the fields of Phraseology, Experimental Psycholinguistics and Cognitive Linguistics anchored in the works of Gibbs (1980,1987), Castillo Carballo (2002), Lakoff and Johnson (2003), Monteiro-Plantin (2012) and Ortiz-Alvarez (2015) and in the experiments conducted by Irujo (1986), Levorato and Cacciari (1999), Crespo and Cáceres (2006) and Mini, Diakogiorgi and Fotopoulou (2011), Caillies e Le Sourn-Bissaoui (2006) and Siqueira et al (2017). The subjects are forty children of both sexes divided into two groups: 4-5 years and 6- 7 years, all students from public and private schools in the city of Juazeiro do Norte-Ceará, and ten university students as a control group. The data were analyzed through the SPSS (Statistical Package for Social Sciences) computer program and had a quantitative and qualitative treatment. The results indicate that the subjects have an intermediate level of phraseological comprehension, that semantic analysability has a special influence on younger children and that the types of Ufs most easily understood by children aged 4 to 7 are the somatisms and gastronomisms. Based on the collected data, we conclude that while 4-5 year-olds prioritize tactics focused on lexical access, 6-7 year olds prefer to make use of strategies related to contextual information.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/49096
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGL - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_tese_arnogueira.pdf2,18 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.