Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/47701
Title in Portuguese: Avaliação da estrutura física das unidades básicas de saúde pelos profissionais da estratégia saúde da família.
Author: Tavares, Paulo Demóstenes Fernandes
Advisor(s): Almeida, Maria Eneide Leitão de
Co-advisor(s): Bizerril, Davi Oliveira
Keywords: Riscos Ocupacionais
Programa de Prevenção de Riscos no Ambiente de Trabalho
Atenção Primária à Saúde
Odontólogos
Issue Date: 2019
Citation: TAVARES, P. D. F. Avaliação da estrutura física das unidades básicas de saúde pelos profissionais da estratégia saúde da família. 2019. 32 f. (Graduação em Odontologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.
Abstract in Portuguese: As unidades de atenção primária à saúde oferecem ações e serviços de saúde básica à população. A estrutura física dessas unidades está intrinsicamente ligada à dinâmica do funcionamento, além da satisfação de todos os atores envolvidos. O estudo tem como objetivo avaliar a estrutura física das UAPS do município de Fortaleza/CE na percepção dos profissionais da ESF. Estudo quantitativo, descritivo, observacional e transversal. A amostra foi composta por 414 profissionais de nível superior, especificamente, 210 enfermeiros e 204 cirurgiões-dentistas, distribuídos em 76 UAPS. Foram aplicados questionários estruturados, os quais abordaram as seguintes variáveis: dados socioeconômicos e profissional; riscos ergonômicos inerentes às atribuições do enfermeiro e cirurgião-dentista; e a situação ergonômica do trabalhador da ESF. Logo após, foi aplicado um check-list, por um pesquisador calibrado, o qual abordou as características físicas das UAPS como: quantificação, dimensionamento e características internas dos ambientes. De 414 participantes da pesquisa, 41,4% dos enfermeiros (n=87) e 38,2% dos cirurgiões-dentistas (n=78) apontaram existir riscos ergonômicos relacionados à estrutura física das unidades com mobiliário mal projetados. E quanto relacionado ao ambiente de trabalho, tem-se 44,3% enfermeiros (n=93) e 44,1% cirurgiões-dentistas (n=90). Quando relacionado a mobiliários e equipamentos básicos, enquanto 68,1% dos enfermeiros (n=143) afirmaram não haver essa estrutura básica, 38,7% dos cirurgiões-dentistas (n=79) relataram não haver a existência da mesma (p<0,001). As unidades apresentaram os principais ambientes preconizados pelo Ministério da saúde, como consultórios médicos, de enfermagem e odontológicos; salas de procedimentos, de curativo e vacina; além de uma coordenação, recepção, copa e sanitários. Em suas ambiências, há uma adequada iluminação e ventilação, além de terem acesso a usuários com necessidades especiais. Desta maneira, os profissionais apontaram a existência de fatores que geram insatisfação no trabalho, como a presença dos riscos ocupacionais, principalmente ergonômicos, associados à estrutura física das unidades de saúde, considerando mobiliários mal projetados e ambiente de trabalho.
Abstract: The units of primary health care offer to action and services of basic health to the population. The physical structure of these units is intrinsically linked to the dynamics of the operation, in addition to the satisfaction of all the actors involved. The objective of this study is to analyze the satisfaction of professionals in the Family Health Strategy (FHS) in relation to the physical structure of the primary health care units (UAPS) in the city of Fortaleza / CE. Quantitative, descriptive, observational and cross-sectional study. The sample consisted of 414 higher-level professionals, specifically, 210 nurses and 204 dental surgeons, distributed in 76 UAPS. We applied structured questionnaires, which addressed the following variables: socioeconomic and professional data; ergonomic risks inherent to the duties of nurses and dental surgeons; and the ergonomic situation of the ESF worker. Soon after, a checklist was applied, by a calibrated researcher, who approached the physical characteristics of the UAPS as: quantification, dimensioning and internal characteristics of the environments. Of 414 research participants, 41.4% of the nurses (n = 87) and 38.2% of the dentists (n = 78) pointed out that there were ergonomic risks related to the physical structure of the units with poorly designed furniture. Regarding the work environment, we have 44.3% nurses (n = 93) and 44.1% dentists (n = 90). When related to furniture and basic equipment, while 68.1% of the nurses (n = 143) stated that there was no such basic structure, 52.9% of dentists (n = 108) reported their existence (p <0.001) . The units presented the main environments recommended by the Ministry of Health, such as medical, nursing and dental offices; rooms for procedures, dressings and vaccines; besides a coordination, reception, canopy and toilets. In their ambiences, there is adequate lighting and ventilation, as well as having access to users with special needs. In this way, the professionals pointed out the existence of factors that generate dissatisfaction in the work, such as the presence of occupational hazards, mainly ergonomic, associated to the physical structure of the health units, considering poorly designed furniture and work environment.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/47701
metadata.dc.type: TCC
Appears in Collections:ODONTOLOGIA - Monografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_tcc_pdftavares.pdf693,57 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.