Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/38799
Title in Portuguese: Balanço emergético de diferentes sistemas de produção agrícola na região Nordeste do Brasil
Title: Emergy balance of diferent agricultural production systems in the northeast region of Brazil
Author: Feitosa, Erialdo de Oliveira
Advisor(s): Lopes, Fernando Bezerra
Keywords: Modelos de produção
Agricultura irrigada
Agricultura de sequeiro
Sustentabilidade.
Emergia.
Reúso de água
Energia solar.
Issue Date: 30-Nov-2018
Citation: FEITOSA, Erialdo de Oliveira. Balanço emergético de diferentes sistemas de produção agrícola na região nordeste do Brasil. 2018. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
Abstract in Portuguese: Os recursos água e energia são fatores fundamentais no desenvolvimento dos sistemas agrícolas de produção. O uso eficiente desses recursos é crucial para alcançar o equilíbrio ecológico e a sustentabilidade do sistema produtivo. Os atuais sistemas de produção têm intensificado o uso de fertilizantes, pesticidas, combustíveis e mecanização, que contribui no aumento do fluxo de energia, acelerando o processo de degradação. Assim sendo, objetivouse avaliar o balanço emergético de diferentes sistemas de produção irrigados em função de diversas fontes de água, energia e adubação em comparação a diferentes modelos de produção em sequeiro. O estudo dos modelos de produção irrigada foi conduzido na área experimental da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Tianguá - CE e no Perímetro Irrigado Curupati em Jaguaribara – CE. Já os modelos alternativos de produção propostos para a agricultura de sequeiro tiveram as pesquisas realizadas na Fazenda Normal da EMATERCE em Quixeramobim - CE. A análise emergética constitui-se basicamente de três etapas: construção do diagrama sistêmico, elaboração da tabela de avaliação de emergia e o cálculo dos indicadores emergéticos. O sistema de produção em sequeiro apresentou valor emergético de 1,06E+16 seJ ha-1 ano-1, sendo menor que no sistema irrigado 1,69E+17 seJ ha-1 ano-1. Verificou-se que os sistemas de produção com água residuária e energia solar fotovoltaica (S2A0, S2A1 e S2A2) apresentaram melhores taxas de rendimento emergético em relação aos sistemas convencionais irrigados (S1A0, S1A1, e S1A2) e em comparação aos cultivos em sequeiro (T-PC, T-ESS, T-CSS e T-CCO). Os sistemas agrícolas convencionais irrigados e os sistemas de cultivo em sequeiro mostraram-se altamente dependentes de recursos da economia, (materiais e serviços). Os sistemas de produção em sequeiro apresentaram melhor balanço de emergia em relação aos cultivos irrigados. A entrada de recursos da economia nos sistemas agrícolas aumenta a carga ambiental e diminui a renovabilidade. Os sistemas renováveis de produção apresentaram melhor desempenho em todos os componentes de produção do feijão-caupi e a utilização de esgotos tratados nos cultivos irrigados pode substituir satisfatoriamente a adubação mineral da cultura
Abstract: Os recursos água e energia são fatores fundamentais no desenvolvimento dos sistemas agrícolas de produção. O uso eficiente desses recursos é crucial para alcançar o equilíbrio ecológico e a sustentabilidade do sistema produtivo. Os atuais sistemas de produção têm intensificado o uso de fertilizantes, pesticidas, combustíveis e mecanização, que contribui no aumento do fluxo de energia, acelerando o processo de degradação. Assim sendo, objetivouse avaliar o balanço emergético de diferentes sistemas de produção irrigados em função de diversas fontes de água, energia e adubação em comparação a diferentes modelos de produção em sequeiro. O estudo dos modelos de produção irrigada foi conduzido na área experimental da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Tianguá - CE e no Perímetro Irrigado Curupati em Jaguaribara – CE. Já os modelos alternativos de produção propostos para a agricultura de sequeiro tiveram as pesquisas realizadas na Fazenda Normal da EMATERCE em Quixeramobim - CE. A análise emergética constitui-se basicamente de três etapas: construção do diagrama sistêmico, elaboração da tabela de avaliação de emergia e o cálculo dos indicadores emergéticos. O sistema de produção em sequeiro apresentou valor emergético de 1,06E+16 seJ ha-1 ano-1, sendo menor que no sistema irrigado 1,69E+17 seJ ha-1 ano-1. Verificou-se que os sistemas de produção com água residuária e energia solar fotovoltaica (S2A0, S2A1 e S2A2) apresentaram melhores taxas de rendimento emergético em relação aos sistemas convencionais irrigados (S1A0, S1A1, e S1A2) e em comparação aos cultivos em sequeiro (T-PC, T-ESS, T-CSS e T-CCO). Os sistemas agrícolas convencionais irrigados e os sistemas de cultivo em sequeiro mostraram-se altamente dependentes de recursos da economia, (materiais e serviços). Os sistemas de produção em sequeiro apresentaram melhor balanço de emergia em relação aos cultivos irrigados. A entrada de recursos da economia nos sistemas agrícolas aumenta a carga ambiental e diminui a renovabilidade. Os sistemas renováveis de produção apresentaram melhor desempenho em todos os componentes de produção do feijão-caupi e a utilização de esgotos tratados nos cultivos irrigados pode substituir satisfatoriamente a adubação mineral da cultura.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/38799
Appears in Collections:PPGENA - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_tese_eofeitosa.pdf4,34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.