Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36798
Title in Portuguese: Evidências de alterações comportamentais e neuroinflamatórias a longo prazo em camundongos submetidos ao modelo de depressão por privação materna sozinha ou associada a desafio imune com lipopolissacarídeo
Title: Evidence of long-term behavioral and neuroinflammatory changes in mice submitted to the model of depression by maternal privacy only or associated with the immune challenge with lipopolissacarde
Author: Cunha, Natássia Lopes
Advisor(s): Gaspar, Danielle Macêdo
Keywords: Depressão
Inflamação
Privação Materna
Envelhecimento
Issue Date: 30-Aug-2018
Citation: CUNHA, N. L. Evidências de alterações comportamentais e neuroinflamatórias a longo prazo em camundongos submetidos ao modelo de depressão por privação materna sozinha ou associada a desafio imune com lipopolissacarídeo. 2018. 84 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
Abstract in Portuguese: Um dos fatores desencadeantes de depressão é a exposição a adversidades precoces (APs) na vida. Estas experiências precoces estão relacionadas também ao suicídio na idade adulta. Um dos modelos animais com grande validade translacional para o estudo da depressão é o modelo de privação materna, que simula a exposição a APs. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi estudar as alterações na idade adulta (DPN 60) e senescência (DPN180), desencadeadas pela privação materna, associada ou não a desafio imune com LPS (0,5mg/kg i,p.) em ambas as idades. Camundongos C57BL/6 machos foram utilizados. Para tanto, os animais foram privados da mãe durante 13 dias, 1h por dia e foram submetidos aos seguintes testes comportamentais: preferência por sacarose e nado forçado para avaliação de comportamento tipo-depressão, campo aberto e claro/escuro para determinação de ansiedade, reconhecimento do objeto novo e labirinto em Y para determinação de alterações de memória. Além disso, foram analisadas as alterações oxidativas, a partir dos níveis de glutationa reduzida (GSH), peroxidação lipídica (MDA) e mieloperoxidase (MPO), alterações imunes de IL-4, IL-6 e TNF-α séricos e no hipocampo e ativação microglial. Nossos resultados mostraram que a privação materna foi capaz de induzir um comportamento ansioso, perceptível no teste de campo aberto e teste claro-escuro e comportamento tipo-depressivo evidenciado no teste de nado forçado e preferência por sacarose. O LPS foi capaz de exacerbar os efeitos da privação materna, tanto na fase adulta quanto na senescência. A privação materna associada ao LPS aumentou de forma significativa os níveis de MDA e MPO e reduziu os níveis de GSH. Nos níveis de citocinas, o LPS trouxe aumentos significativos e a associação com a privação materna mostrou incrementar esse efeito nos níveis IL-6 e TNF-α. Além disso, foi observado aumento significativo da ativação microglial em todas as áreas do hipocampo, principalmente com a associação da privação materna com o LPS. No geral, observamos que a exposição ao LPS em diferentes idades da vida (adulta e senescência) é capaz de modificar o curso das alterações causadas pela exposição à AP por privação materna, sendo o conhecimento dos mecanismos subjacentes a estas alterações de grande importância para o estabelecimento de estratégias de prevenção.
Abstract: One of the triggering factors for depression is exposure to early adversity (EA) in life. These early experiences are also related to suicide in adulthood. One of the animal models with great translational validity for the study of depression is the maternal deprivation model, which simulates the exposure to EAs. In this context, the objective of this study was to study the changes in adult age (PND 60) and senescence (PND 180), triggered by maternal deprivation, associated or not to immune challenge with LPS (0.5mg / kg i, p.) In both the ages. Male C57BL / 6 mice were used. For this, the animals were deprived of the mother for 13 days, 1h per day and were submitted to the following behavioral tests: sucrose preference and forced swimming test for evaluation of type-depression behavior, open field and light/dark for determination of anxiety, recognition of the new object and Y-maze to evaluate memory. In addition, oxidative changes were analyzed from the reduced glutathione (GSH), lipid peroxidation (MDA) and myeloperoxidase (MPO), IL-4, IL-6 and TNF-α immune changes in serum and the hippocampus and microglial activation. Our results showed that maternal deprivation was able to induce anxious, noticeable behavior in the open field test and light-dark test and type-depressive behavior evidenced in the forced swimming test and sucrose preference. PS was able to exacerbate the effects of maternal deprivation, both in adulthood and in senescence. Maternal deprivation associated with LPS significantly increased MDA and MPO levels and reduced GSH levels. At the cytokine levels, LPS brought significant increases and the association with maternal deprivation showed an increase in IL-6 and TNF-α levels. In addition, a significant increase in microglial activation was observed in all areas of the hippocampus, especially with the association of maternal deprivation with LPS. In general, we observed that exposure to LPS at different ages of life (adult and senescence) is capable of modifying the course of the changes caused by EA exposure due to maternal deprivation, being the knowledge of the mechanisms underlying these changes of great importance for the establishment of prevention strategies.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36798
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_nlcunha.pdf3,28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.