Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/35372
Title in Portuguese: Diferenciais de rendimentos entre raças e gêneros, nas regiões metropolitanas, por níveis ocupacionais: uma análise através do pareamento de Ñopo
Author: Mariano, Francisca Zilania
Costa, Edward Martins
Guimarães, Daniel Barboza
Sousa, Daniel Tomaz de
Keywords: Diferenciais de rendimentos
Categorias ocupacionais
Discriminação
Issue Date: 2018
Publisher: Revista de Estudos Econômicos
Citation: MARIANO, Francisca Zilania; COSTA, Edward Martins; GUIMARÃES, Daniel Barboza; SOUSA, Daniel Tomaz de. Diferenciais de rendimentos entre raças e gêneros, nas regiões metropolitanas, por níveis ocupacionais: uma análise através do pareamento de Ñopo. Revista de Estudos Econômicos, São Paulo, v. 48, n. 1, p. 137-173, 2018.
Abstract in Portuguese: Este artigo busca analisar o comportamento dos diferenciais de rendimentos entre gênero e raças nas regiões metropolitanas (RMs) e o Distrito Federal, considerando diferentes categorias ocupacionais. Dada a disparidade regional, optou-se por corrigir a renda através do índice de custo de vida desenvolvido por Azzoni e Almeida (2016); para captar o diferencial, os efeitos dotação e discriminação, utilizou-se o método não paramétrico de Ñopo (2008), aplicado aos dados obtidos pela PNAD (2014). Além disso, o método de Oaxaca-Blinder (1973) foi aplicado para o Brasil Metropolitano. Da comparação entre os métodos, constatou-se que Oaxaca superestima os efeitos da decomposição de rendimentos. Em relação ao diferencial, ocupacional e RM, as mulheres, assim como os indivíduos não brancos, têm piores remunerações. Com as ocupações desagregadas e por regiões, os profissionais das ciências e das artes são aqueles que têm as maiores diferenças salariais nas RMs por gênero; por raça, as maiores diferenças são encontradas para o grupo de dirigentes e profissionais das ciências e das artes.
Abstract: This paper analyzes the behavior of income differentials between gender and race in the metropolitan regions (MRs) and the Federal District, considering four levels of occupation. Given the regional disparity, it was decided to correct the income by the cost of life index developed by Azzoni and Almeida (2016). To capture the differential effects allocation and discrimination, we used the nonparametric method Ñopo (2008) applied to the data obtained from the National Household Survey (2014). Furthermore, the method of Oaxaca-Blinder (1973) was applied to the Metropolitan Brazil. Comparing the methods, it can be seen that Oaxaca overestimates the effects of income decomposition. Regarding the differential in each RM and occupational level, women as well as non-white individuals have worse pay. With the disaggregated occupations and by regions, the professionals of the sciences and the arts are the one that has the greatest salary differences in RMs by gender, and by race, the biggest differences are found for the group of leaders and professionals of the sciences.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/35372
metadata.dc.type: Article
ISSN: 0101-4161
1980-5357
Appears in Collections:DEA - Artigos publicados em revista científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_art_fzmariano.pdf1,13 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.