Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/34420
Título: Determinação de umidade em amostras de pescado: comparação dos métodos de secagem em estufa e radiação infravermelha
Autor(es): Oliveira, Geovanny Paiva de
Orientador(es): Maia, Everardo Lima
Palavras-chave: Camarão - Criação
Pirarucu (Peixe) - Criação
Engenharia de Pesca
Data do documento: 2009
Citação: OLIVEIRA, G. P. de (2009)
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo comparar o uso do determinador de umidade por secagem da amostra com radiação infravermelha em paralelo com o método de referência a estufa que emprega transferência de calor por convecção em amostras de cauda de camarão (Litopenaeus vannamei) congelada sem carapaça e pirarucu (Arapaima gigas) salgado-seco. Três amostras de crustáceo e de peixe foram obtidas no comércio de Fortaleza- Ceará e analisadas quanto ao teor de umidade, bem como, quanto a sua composição química centesimal, compreendendo os teores de proteínas, lipídios totais e cinza, visando caracterizar as amostras sobre esses nutrientes e servindo de parâmetros de controle para a determinação de umidade. O teor médio de umidade em cauda de camarão foi de 81,14% ± 0,98 e de 81,21% ± 0,81 determinados respectivamente pelos métodos em estufa e radiação infravermelha. Para o pirarucu, os teores de umidade em estufa e por radiação infravermelha foram de 52,22% ± 1,60 e de 53,96% ± 1,73. O teste "t" de Student mostrou que não houve diferença significativa (p < 0,05) entre os dois métodos para a determinação de umidade nas amostras de camarão. Por outro lado, em duas amostras de pirarucu os teores de umidade foram diferentes entre os métodos (p > 0,05), com a radiação infravermelha dando resultados superiores ao método da estufa. Os dados da composição química serviram como base de avaliação dos métodos de determinação para umidade, pois a somatória dos nutrientes nas amostras situou-se em torno de 100%. Para cauda de camarão a soma foi de 100,70% ± 0,62 (estufa) e de 100,77% ± 0,73 (radiação infravermelha), enquanto para o pirarucu a soma foi de 98,95% ± 0,34 (estufa) e de 100,69% ± 1,12 (radiação infravermelha). Com base nos resultados pode-se concluir pelo uso de radiação infravermelha é satisfatória a determinação de umidade em cauda de camarão (Litopenaeus vannamei) congelada sem carapaça e em pirarucu (Arapaima gigas) salgado-seco.
Descrição: OLIVEIRA, Geovanny Paiva de. Determinação de umidade em amostras de pescado: comparação dos métodos de secagem em estufa e radiação infravermelha. 2009. 28 f. Monografia (Graduação em Engenharia de Pesca) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/34420
Aparece nas coleções:ENGENHARIA DE PESCA - Trabalhos Acadêmicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_tcc_gpoliveira.pdf25,4 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.