Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3421
Title in Portuguese: Na Ilha de Lia, no Barco de Rosa: O Papel das interações estabelecidas entre a professora de creche e as crianças na constituição do eu infantil
Author: Costa, Sinara Almeida da
Advisor(s): Cruz, Sílvia Helena Vieira
Keywords: Educação pré-escolar
Interações
Constituição do eu
Crianças
Professora
Creche
Professores de creches
Análise de interação em educação
Educação Pré-Escolar - Fortaleza(CE)
Subjetividade
Interactions
Development of Individuality
Children
Teacher
Care Center
Issue Date: 2011
Publisher: http://www.teses.ufc.br
Citation: Costa, S. A.; Cruz, S. H. V. (2011)
Abstract in Portuguese: Este estudo teve como objetivo analisar as interações estabelecidas entre a professora e um grupo de crianças de três anos em uma creche pública municipal de Fortaleza, focalizando a interferência dessas interações no processo de individuação das crianças. A fundamentação teórica para o desenvolvimento da pesquisa foi essencialmente, a abordagem Sociointeracionista de Desenvolvimento e Aprendizagem Humana, especificamente os estudos de Wallon (1981, 1986, 1989) e de Vigotski (1989; 1996; 2001). A metodologia constou de observações do cotidiano do grupo investigado e de duas entrevistas realizadas com a professora das crianças. Uma das entrevistas versou sobre sua vida profissional e a outra constou da análise feita pela professora de dez cenas filmadas e quatro fotografias selecionadas entre o material coletado nas observações. As análises mostraram que a professora percebe o seu papel restrito às atividades, ditas pedagógicas, relacionadas ao desenvolvimento intelectual das crianças. Assim, atividades relacionadas aos demais aspectos do desenvolvimento infantil (afetivo, psicomotor e social) não se constituem alvo de planejamento ou de atenção da professora. Sua principal preocupação parece ser desenvolver o comportamento disciplinado das crianças, o que contribui para uma prática autoritária e pouco interativa. A necessidade de manter o controle nas atividades dirigidas por ela tem algumas consequências, como : a pequena participação das crianças na escolha das atividades, o desrespeito da professora em relação às iniciativas infantis e a sua postura de pouca escuta ao que as crianças dizem. Chama a atenção o fato de serem as crianças as responsáveis pelo maior número de interações estabelecidas com a docente. O interesse das crianças em tentar se aproximar da professora, entretanto, não chega a favorecer, de forma contundente, as interações com ela, não se configurando, pois, como fator determinante para a ocorrência das mesmas. Por outro lado, um maior número de interações foi observado entre a professora e aquelas crianças que mais se insubordinam às suas ordens, o que reforça a ideia de que sua prática é desenvolvida no sentido de inibir comportamentos indesejados. As análises mostraram, ainda, indícios do quanto os espaços da creche e materiais podem influenciar as interações entre a professora e as crianças, mas evidenciaram que, diante de representações arraigadas sobre o seu papel, a docente não percebe esses elementos como importantes para o seu trabalho. Assim, as interações estabelecidas entre a professora e as crianças, no grupo investigado, estão contribuindo para a constituição de pessoas passivas, dependentes, submissas e pouco críticas, uma vez que reduzem, consideravelmente, as possibilidades de elas se expressarem, manifestarem suas opiniões, dúvidas, idéias e sentimentos. A influência das representações sociais da professora em sua prática levou à reflexão sobre a necessidade de se pensar em formações continuadas que busquem romper com concepções arraigadas mantidas pelos professoras sobre infância, criança, Educação Infantil e papel do professor. Se vinculadas à prática docente, tais experiências de aprendizagem possibilitariam reflexões significativas, como foi o caso da segunda entrevista realizada nesta pesquisa. Esta entrevista, apesar de não ter tido intencionalidade interventiva, possibilitou, mesmo que de forma incipiente, algum tipo de autocrítica e sensibilização por parte da professora.
Abstract: This study aimed at analyzing the interactions between a teacher and a group of three year old children, in a public day care center, in Fortaleza. It focused upon the influence of these interactions in the of children’s development of their individuality. The theoretical foundation for the research was the Social Interactionism approach, mainly the theories of Wallon (1981, 1986,1989) and Vigotski(1989,1996,2001). The methodological procedures were daily observations of the selected group and two interviews with the teacher. One interview raised data about the teacher’s professional life and the other explored the content of ten video sessions and four pictures taken during the observations. The analysis revealed that the teacher’s perception of her role is restricted to the development of activities which she considers to be educational, that means, activities related to the children’s intellectual development. Thus, activities aimed at developing the children’s affective, psychomotor and social aspects are not included in the daily planning and routine. Her main concern appears to focus upon the disciplined behavior of the children. This fact contributes to establishing an authoritarian atmosphere in which few interactions occur. The teacher’s concern with controlling the children in all activities which she proposes has many consequences such as: small children’s participation in the choice of activities and the lack of the teacher’s respect to the children’ initiatives. Besides, the teacher does not listen to whatever the children have to say. It is also important to mention that the children initiate most of the interactions which are established with the teacher. However, their interest in talking to the teacher does not contribute in a significant way to developing meaningful interactions. On the other hand, it was observed a high number of interactions among the teacher and those children who do not strictly follow her orders. This fact reinforces the idea that her interactions aim at inhibiting undesirable behaviors. The analysis also showed that the day care spacial organization as well as the available materials may influence the interaction between the teacher and the children, but the teacher does mot appear to be aware of their importance to the routine. Probably this attitude is due to her deep-rooted conceptions about her teacher role. Thus, the interactions established between the teacher and the children are contributing to turn children into passive, dependent and compliant human beings since they do not offer opportunities for the children to express their opinions, doubts, ideas and feelings. The influence of the teacher’s social representations in her practices leads to the conclusion that the continuing education offered to the teachers should try to change their conceptions about children, childhood and the role of day care teacher. If continuing education is related to the teachers’ practices, it will provide meaningful experiences for them. Although the interview conducted in this study has not had an intervention purpose, it has contributed to developing, even in an incipient way, the teacher’s critical awareness about her own practice.
Description: COSTA, Sinara Almeida. Na ilha de Lia, no barco de Rosa: o papel das interações estabelecidas entre a professora de creche e as crianças na constituição do eu infantil. 2011. 184f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Fortaleza-CE, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3421
Appears in Collections:PPGEB - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2011_TESE_SACOSTA.pdf4,2 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.