Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/33791
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFarias, Wladimir Ronald Lobo-
dc.contributor.authorCoêlho, Anderson Alan da Cruz-
dc.date.accessioned2018-07-11T18:09:57Z-
dc.date.available2018-07-11T18:09:57Z-
dc.date.issued2009-
dc.identifier.citationCOÊLHO, A. A. C. (2009)pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/33791-
dc.descriptionCOÊLHO, Anderson Alan da Cruz. Acumulação de lipídios totais durante a fase estacionária de cultivo da microalga Tetraselmis tetrathele. 2009. 29 f. Monografia (Graduação em Engenharia de Pesca)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectLipídeospt_BR
dc.subjectMicroalgaspt_BR
dc.subjectEngenharia de pescapt_BR
dc.titleAcumulação de lipídios totais durante a fase estacionária de cultivo da microalga Tetraselmis tetrathelept_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.description.abstract-ptbrO estágio de crescimento em culturas de microalgas e a manipulação das condições físico-químicas dos cultivos podem resultar em diferenças na composição celular. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da depleção de nutrientes no crescimento e produtividade algal, bem corno no rendimento e produtividade lipídica, durante o cultivo da microalga Tetraselmis tetratheie concentração de Nael igual a 0,5 M, temperatura de 28 ± 1°C, com iluminação e aeração constantes, em torno de 200 pE cm-2 s-1 e 4 L ar min- 1, respectivamente. As microalgas foram cultivadas em recipientes de nove litros, com volume útil de oito litros, em duplicata e atemporal. Os resultados mostraram que a taxa média de crescimento no inicio da fase estacionária foi de 0,62 ± 0,003 divisões dial, consideravelmente maior que no final desta fase, ocorrendo também em urna maior produtividade algal (2,28 ± 0,06 g L-1). Da mesma forma, o melhor rendimento lipídico ocorreu até n inicio da fase estacionaria, obtendo valor de 31 ± 1,3 g 100 g de alga sena-1, urna vez que o acumulo lipídico após este instante foi de apenas 25 % em um momo período de tempo, ou seja, só ocorreu um aumento de 08 ± 2,4 g 100 g de alga seca-1 em quatro dias. Ficou evidente que não há necessidade de cultivar esta microalga até o fim da fase estacionária para se obter uma boa produtividade de biomass-a e- um rendimento lipídicopt_BR
Appears in Collections:ENGENHARIA DE PESCA - Trabalhos Acadêmicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_tcc_aaccoelho.pdf25,93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.