Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31030
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorVasconcelos, Alessandra Carvalho de-
dc.contributor.authorAlves, Edinilson da Silva-
dc.date.accessioned2018-04-16T13:07:07Z-
dc.date.available2018-04-16T13:07:07Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.citationALVES, Edinilson da Silva. Caracterização do disclosure ambiental nos relatórios de sustentabilidade: análise da evidenciação dos investimentos ambientais nas empresas brasileiras. 2014. 17 p. TCC (graduação em Ciências Contábeis) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Fortaleza-CE, 2014.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31030-
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectResponsabilidade ambiental - Brasilpt_BR
dc.subjectRelatóriospt_BR
dc.subjectSustentabilidadept_BR
dc.subjectEmpresaspt_BR
dc.titleCaracterização do disclosure ambiental nos relatórios de sustentabilidade: análise da evidenciação dos investimentos ambientais nas empresas brasileiraspt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.description.abstract-ptbrDiante dos imperativos oriundos da institucionalização e legitimação das práticas ambientais, esta pesquisa caracterizou a evidenciação de investimentos ambientais em empresas do Brasil que publicaram relatórios de sustentabilidade, seguindo as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI). Descritivo, documental e com abordagem qualitativa, recorreram-se à análise de conteúdo dos relatórios no grupo de 80 empresas que demonstraram seus investimentos ambientais por meio do indicador EN30, em 2012. Os resultados mostraram que (i) 50% das empresas brasileiras divulgaram investimentos ambientais por meio de seus relatórios de sustentabilidade; (ii) essas empresas pertencem a diferentes setores, sendo na maior parte setores econômicos com potencial risco ambiental; são equitativamente segmentadas como listadas e não listadas em bolsa de valores; e majoritariamente possuidoras de níveis de aplicação entre A+ e B de relatórios de sustentabilidade; (iii) a preservação é a categoria que tem maior investimento ambiental e frequência de investimentos, seguida pelo controle e pela recuperação; (iv) há uma pseudocategoria, denominada de “Outros”, pobre de informação; (v) tanto setor econômico, como listagem e nível de aplicação do relatório podem ter impacto no investimento ambiental das empresas brasileiras. Conclui-se que o contexto organizacional brasileiro mostra-se atento à antecipação de impactos ambientais e à busca pela legitimação.pt_BR
Appears in Collections:CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Monografias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_tcc_esalves.pdf483,44 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.