Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/30081
Title in Portuguese: A imagem inquieta: pós-produção e sobrevivência no cinema de Gus Van Sant
Author: Vale, Charles Vasconcelos
Advisor(s): Furtado, Sylvia Beatriz Bezerra
Keywords: Gus Van Sant
Iconologia
Pós-produção
Sobrevivência
Iconology
Post-production
Issue Date: 2017
Citation: Vale, C. V.; Furtado, S. B. B. (2017)
Abstract in Portuguese: A presente pesquisa propõe fazer uma análise iconológica de parte da obra do cineasta norte-americano Gus Van Sant, utilizando para tanto dois conceitos fundamentais, a saber, Pós-Produção (BOURRIAUD, 2009) e Sobrevivência (WARBURG, 2013; DIDI-HUBERMAN, 2013). Selecionamos, para isso, cinco de seus principais filmes, sendo eles respectivamente: Psicose (1998), Gerry (2002), Elefante (2003), Last Days (2005) e Paranoid Park (2007), por acreditar que eles dão fôlego as análises e os conceitos supracitados. No primeiro momento tentamos pensar essa filmografia a partir de procedimentos artísticos como: apropriação, remake, remix, releitura; procedimentos estes relacionados com a arte contemporânea, cujo modus operandi pode ser sintetizado pelo termo pós-produção. No segundo momento da pesquisa tentamos pensar essa filmografia em relação com a história da arte, analisando essa obra a partir da ideia de sobrevivência (nachleben), um conceito derivado da singular iconologia criada pelo historiador da arte Aby Warburg, que tentou pensar a imagem pelo prisma das sobrevivências das formas antigas em manifestações culturais e artísticas diversas. Por fim, propomos um ensaio visual acerca dessas obras cinematográficas, utilizando como inspiração o “Atlas Mnemosyne” - atlas de imagens que sintetiza o método warburguiano de investigação – privilegiando, portanto, a potência imagética em detrimento da historiografia tradicional calcada na palavra.
Abstract: The present research proposes to make an iconological analysis of part of the work of the North American filmmaker Gus Van Sant, using two fundamental concepts, namely Post-Production (BOURRIAUD, 2009) and Survival (WARBURG, 2013, DIDI- HUBERMAN, 2013). We chose five of their main films, respectively: Psycho (1998), Gerry (2002), Elefante (2003), Last Days (2005) and Paranoid Park (2007), for believing they give breaths to the analyzes and the above-mentioned concepts. In the first moment we try to think this filmografía from artistic procedures like: appropriation, remake, remix, rereading; procedures related to contemporary art, whose modus operandi can be synthesized by the term post-production. In the second moment of the research we try to think about this filmography in relation to the history of art, analyzing this work from the idea of survival (nachleben), a concept derived from the singular iconology created by the historian of art Aby Warburg, who tried to think the image by prism of the survival of ancient forms in diverse cultural and artistic manifestations. Finally, we propose a visual essay about these cinematographic works, using as an inspiration the "Atlas Mnemosyne" - atlas of images that synthesizes the Warburguian method of investigation - thus privileging the imagery power to the detriment of the traditional historiography based on the word.
Description: VALE, Charles Vasconcelos. A imagem inquieta: pós-produção e sobrevivência no cinema de Gus Van Sant. 2017. 75f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Instituto de Cultura e Arte, Programa de Pós-graduação em Comunicação, Fortaleza (CE), 2017.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/30081
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGCOM - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_dis_cvvale.pdf2,31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.