Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/29366
Title in Portuguese: Efeito moderador dos ambientes econômico e legal na relação entre a concentração de controle e o desempenho corporativo: evidências empíricas na América Latina
Title: Moderating effect of economic and legal environments on the relationship between concentration of controls and corporate performance: empirical evidence in latin america
Author: Viana Junior, Dante Baiardo Cavalcante
Advisor(s): Ponte, Vera Maria Rodrigues
Keywords: Acoes financeiras - controle
Desempenho corporativo
Mercado financeiro - America Latina
Issue Date: 2018
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria - PPAC
Citation: VIANA JUNIOR, Dante Baiardo Cavalcante. Efeito moderador dos ambientes econômico e legal na relação entre a concentração de controle e o desempenho corporativo: evidências empíricas na América Latina. 2018. 86f. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Programa de Pós-graduação em Administração e Controladoria, Fortaleza-CE, 2018.
Abstract in Portuguese: Diante do conflito existente entre acionistas majoritários e minoritários, típico de economias emergentes, como nos países da Europa continental e da América Latina, conjectura-se, à luz da Teoria da Agência, a possibilidade de uma relação negativa entre a concentração de controle nas empresas e seus respectivos valores de mercado, pelo fato de esses países, dentre outros aspectos, apresentarem um baixo enforcement legal de proteção aos acionistas minoritários, dando margem a comportamentos oportunísticos por parte de grandes controladores na extração de benefícios privados de controle. Apesar de ser extensa a literatura que trata dessas implicações, inclusive em economias menos desenvolvidas, os resultados empíricos apresentados nesses estudos são divergentes, tornando inconclusivas as discussões relacionadas à temática. Dessa forma, indaga-se sobre a possibilidade de os ambientes econômico e legal nos quais as empresas estão situadas poderem interferir nessa relação, o que ainda não foi objeto específico de investigação nesses estudos. Nesse contexto, a presente pesquisa tem como objetivo examinar a relação entre a concentração de controle, o desempenho corporativo e os ambientes econômico (instabilidade do mercado) e legal (aspectos legais de proteção aos minoritários) em empresas latino-americanas. A amostra do estudo reúne as companhias de capital aberto listadas nas bolsas de valores de seis países da América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru), adotando como período de análise os anos 2010 a 2016, perfazendo um total de 1.393 observações. O desempenho corporativo, tratado como variável dependente, foi representado pelo valor de mercado (Q de Tobin e Enterprise Value). A concentração de controle foi tratada como variável independente, sendo aproximada pela proporção de ações com direito a voto pertencentes até os três maiores acionistas da empresa. A instabilidade econômica dos países e os respectivos níveis de proteção legal dos investidores minoritários também foram considerados como variáveis independentes, utilizando-se diferentes proxies sugeridas pela literatura, como, por exemplo, a inflação e o Índice de Proteção Legal de Investidores Minoritários dos países, elaborado pelo Banco Mundial. Diferentes procedimentos estatísticos foram empregados, como estatísticas descritivas, testes de correlação e regressão linear múltipla com parâmetros estimados pelo Método dos Momentos Generalizados (GMM). Os resultados obtidos sugerem uma elevada concentração de controle por parte das empresas latino-americanas, sendo identificados níveis mais altos de concentração de controle nas empresas da Argentina. A partir da análise de coeficientes de correlação, observou-se que o valor de mercado apresenta correlação negativa e significante com a concentração de controle. As estimações dos modelos econométricos em GMM confirmaram um efeito negativo da concentração de controle sobre o valor de mercado. Após a inserção das variáveis relativas ao ambiente econômico, confirmou-se a correlação negativa entre a concentração de controle e o valor de mercado nas companhias de países com economias mais instáveis; no entanto, não se observou esse efeito em países com baixa instabilidade econômica, onde a concentração de controle perde significância em termos de influência sobre o valor de mercado. Por fim, constatou-se ainda uma influência negativa da concentração de capital votante sobre o valor de mercado apenas em economias de baixa proteção legal aos minoritários, apontando-se, inclusive, evidências de correlação positiva entre os construtos em países de maior proteção legal aos minoritários, aceitando-se, portanto, as hipóteses do estudo. Dessa forma, confirmam-se indícios de efeitos destrutivos de grandes acionistas controladores sobre o valor de mercado (efeito entrincheiramento) na América Latina, podendo, no entanto, esses efeitos serem potencializados, ou mesmo atenuados, por características dos ambientes econômico e legal em que as empresas estão inseridas.
Abstract: In the light of the Agency Theory, the possibility of a negative relation between the concentration of control in the companies and their respective market values is conjectured by the conflict between majority and minority shareholders, typical of emerging economies, such as the countries of continental Europe and Latin America, due to the fact that these countries, among other aspects, present a low legal enforcement of protection to minority shareholders giving rise to opportunistic behavior by large controllers in the extraction of private control benefits. Although the literature dealing with these implications is extensive, including in less developed economies, the empirical results presented in these studies are divergent, making the discussions related to the issue inconclusive. In this way, I inquire about the possibility that the economic and legal environments in which the companies are located may interfere in this relationship, which has not been the specific object of investigation in these studies. In this context, the present research aims to examine the relationship between control concentration, corporate performance and the economic (market instability) and legal (legal aspects of minority protection) environments in Latin American companies. The study sample includes listed companies on the stock exchanges of six Latin American countries (Argentina, Brazil, Chile, Colombia, Mexico and Peru), taking as a period of analysis the years 2010 to 2016, making a total of 1,393 observations. Corporate performance, treated as a dependent variable, was represented by market value (Tobin's Q and Enterprise Value). The control concentration was treated as an independent variable, being approximated by the proportion of voting shares belonging to the three largest shareholders of the company. The economic instability of countries and their respective levels of legal protection to minority investors were also considered as independent variables, using different proxies suggested by the literature, such as inflation and the Legal Protection Index of Minority Investors of the countries, prepared by the World Bank. Different statistical procedures were used, such as descriptive statistics, correlation tests and multiple linear regression with parameters estimated by the Generalized Moment of Method (GMM). The results suggest a high concentration of control on the part of the Latin American companies, being identified higher levels of concentration of control in the companies of Argentina. From the analysis of correlation coefficients, it was observed that the market value shows a negative and significant correlation with the control concentration. The estimates of the econometric models in GMM confirmed a negative effect of the control concentration on the market value. After insertion of variables related to the economic environment, the negative correlation between control concentration and market value was confirmed in companies from countries with more unstable economies; however, this effect was not observed in countries with low economic instability, where the concentration of control loses significance in terms of influence on market value. Finally, a negative influence of the concentration of voting capital on market value was observed only in economies of low legal protection to the minority, evidencing a positive correlation between the constructs in countries of greater legal protection to the therefore accepting the hypotheses of the study. Thus, evidence of the destructive effects of large controlling shareholders on the market value (entrenchment effect) in Latin America is confirmed, but these effects may be enhanced or even attenuated by the characteristics of the economic and legal environment in which companies are inserted.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/29366
Appears in Collections:PPAC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_dbcvianajunior.pdf2,04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.