Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/27497
Título: Composição mineral e química em Panicum maximum cv. brs zuri submetida a diferentes níveis de salinidade e lâminas de irrigação
Título em inglês: |Mineral and chemical composition in Panicum maximum cv. brs zuri submitted to different levels of salinity and irrigation blades
Autor(es): Silva, Eranildo Brasil da
Orientador(es): Carneiro, Maria Socorro de Souza
Coorientador(es): Braga, Marilena de Melo
Palavras-chave: Água salina
Macronutrientes
Pastagem
Valor nutritivo
Data do documento: 2017
Citação: SILVA, E. B. (2017)
Resumo: A utilização de águas salinas na irrigação de pastagens pode ser uma alternativa viável, juntamente com o uso de cultivares tolerantes ao efeito salino. Objetivou-se neste trabalho analisar os efeitos de diferentes lâminas de água e níveis de salinidade no crescimento do capim Panicum maximum cv. BRS Zuri. O experimento foi conduzido em delineamento em blocos casualizados com parcelas subdivididas com cinco repetições por tratamento. Os tratamentos foram resultantes da combinação de três níveis de salinidade na água (S1 = 0,6; S2 = 1,8; S3 = 3,0 dS m-1) e quatro intensidades de irrigação (I1 = 60; I2 = 80; I3 = 100; I4 = 120% da evapotranspiração). Foi avaliada a composição química do capim Panicum maximum cv. BRS Zuri, cortado aos 28 dias, durante dois ciclos, determinando os teores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), matéria mineral (MM), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), extrato etéreo (EE), hemicelulose (HEM), celulose (CEL) e lignina (LIG). Em seguida, foram avaliados os teores minerais para nitrogênio (N), fósforo (P2O5), potássio (K2O), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e sódio (Na), expressos em g kg-1. Houve interação entre os fatores (salinidade x lâmina x ciclo) para os teores de matéria seca, com o 2º ciclo superior ao 1º ciclo na lâmina de 60% da ET nos níveis de salinidade 1,8 e 3,0 dS m-1. Com o aumento das lâminas de irrigação, houve redução linear nos teores de proteína bruta nos dois ciclos. Foi observado menor teor de extrato etéreo no 2º ciclo em relação ao 1º ciclo na salinidade 1,8 dS m-1, nas lâminas 80 e 120% da ET. O teor de fibra em detergente neutro aumentou linearmente com as lâminas de irrigação, em ambos os ciclos, nos níveis de salinidade 0,6 e 1,8 dS m-1. Não houve interação (P>0,05) entre os fatores (salinidade x lâmina x ciclo) para os teores de fibra em detergente ácido. Contudo, houve interação ciclo x salinidade com maior teor de fibra em detergente ácido no 1º ciclo na salinidade 0,6 dS m-1. No 1º ciclo observou-se que o maior teor de hemicelulose ocorreu em resposta a salinidade de 3,0 dS m-1 na lâmina de 60% da ET. Foram observados aumentos lineares nos teores de celulose em função das lâminas de irrigação nos níveis de salinidade 1,8 e 3,0 dS m-1 no 2º ciclo. Os teores de lignina reduziram linearmente com as lâminas de irrigação, constatando-se decréscimos de 0,61 e 2,93 g kg-1 de MS nos teores de lignina no 1º e 2º ciclo, respectivamente. Foi observada interação entre os fatores (salinidade x lâmina x ciclo) para os teores de nitrogênio. O 1º ciclo foi superior ao 2º ciclo apenas nas lâminas de 60 e 120% da ET nas salinidades de 0,6 e 3,0 dS m-1, respectivamente. No 1º ciclo os teores de fósforo apresentaram resposta quadrática na salinidade 0,6 dS m-1. No 2º ciclo, os teores de potássio foram menores nas lâminas 60, 100 e 120% da ET. No 1º ciclo observou-se maior teor de cálcio na lâmina de 80% da ET nas salinidades de 1,8 e 3,0 dS m-1. No 1º ciclo observou-se que os teores de magnésio reduziram linearmente com as lâminas de irrigação na salinidade de 0,6 dS m-1 e aumentaram quadraticamente os teores na salinidade de 1,8 dS m-1 com as lâminas de irrigação. Observou-se maior teor de sódio no 2° ciclo em relação ao 1º na lâmina 60% da ET na salinidade 0,6 dS m-1. Conclui-se que os níveis elevados de salinidade (≥ 3,0 dS m-1) causam reduções nos teores de matéria seca, a medida que aumenta-se a disponibilidade hídrica e o prolongamento dos ciclos da cultivar. A redução dos níveis salinos sob baixa disponibilidade hídrica (60% da ET) proporciona maiores teores de proteína bruta. A salinidade afeta negativamente os teores de fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido, hemicelulose, celulose e lignina, com o aumento das lâminas de irrigação. Houve relação entre a lâmina mínima de irrigação e os valores máximos dos macrominerais estudados, indicando que o efeito da salinidade torna-se mais elevado quando a água aplicada é reduzida, exigindo maior aporte dos teores minerais pelas plantas nessas condições
Abstract: The use of saline waters in irrigation of pastures may be a viable alternative, along with the use of salt tolerant cultivars. The objective of this work was to study the effects of different water depths and salinity levels on the growth of Panicum maximum cv. BRS Zuri. The experiment was conducted in a randomized complete block design with subdivided plots with five replicates per treatment. The treatments were the result of the combination of three salinity levels in the water (S1 = 0.6, S2 = 1.8, S3 = 3.0 dS m-1) and four irrigation intensities (I1 = 60, I2 = 80; I3 = 100, I4 = 120% of evapotranspiration). The chemical composition of the Panicum max cv. BRS Zuri, cut at 28 days, during two cycles, determining the dry matter (DM), crude protein (CP), mineral matter (MM), neutral detergent fiber (NDF), acid detergent fiber (FDA) extract ethereal (EE), hemicellulose (HEM), cellulose (CEL) and lignin (LIG). (N), phosphorus (P2O5), potassium (K2O), calcium (Ca), magnesium (Mg) and sodium (Na), expressed in g kg -1. There was interaction between the factors (salinity x lamina x cycle) for the dry matter contents, with the 2nd cycle superior to the 1st cycle in the 60% ET blade at salinity levels 1.8 and 3.0 dS m-1. With the increase of the irrigation slides, there was a linear reduction in crude protein contents in the two cycles. It was observed lower content of ethereal extract than 2nd cycle in relation to the 1st cycle in the salinity 1.8 dS m-1, in the slides 80 and 120% of ET. The neutral detergent fiber content increased linearly with irrigation slides in both cycles at salinity levels 0.6 and 1.8 dS m-1. There was no interaction (P> 0.05) between the factors (salinity x slide x cycle) for acid detergent fiber contents. However, there was a cycle x salinity interaction with a higher acid detergent fiber content than the first cycle at salinity of 0.6 dS m-1. In the first cycle, the highest hemicellulose content was observed in the salinity response of 3.0 dS m-1 in the 60% ET blade. Linear increases in cellulose contents were observed as a function of irrigation levels at salinity levels 1.8 and 3.0 dS m-1, not at the 2nd cycle. The lignin contents reduced linearly as irrigation slides, with decreases of 0.61 and 2.93 g kg-1 DM in lignin levels, respectively, in the 1st and 2nd cycle. It was observed interaction between the factors (salinity x blade x cycle) for the nitrogen contents. The first cycle was superior to the 2nd cycle only in the slides of 60 and 120% of ET in the salinities of 0.6 and 3.0 dS m-1, respectively. In the 1st cycle the phosphorus contents presented quadratic response in the salinity 0.6 dS m-1. In the second cycle, potassium levels were lower in slides 60, 100 and 120% of ET. No 1st cycle shows a higher calcium content in the 80% ET blade at salinities of 1.8 and 3.0 dS m-1. In the first cycle, it was observed that the magnesium contents reduced linearly with irrigation slides in the salinity of 0.6 dS m-1 and increased quadratically the salinity contents of 1.8 dS m-1 with the irrigation slides. It was observed a higher sodium content not 2nd cycle in relation to the 1st in the slide 60% of ET in the salinity 0.6 dS m-1. It was concluded that high levels of salinity (≥ 3.0 dS m-1) cause reductions in dry matter content as water availability and extension of the cultivar cycles increase. The reduction of saline levels of available low availability (60% of ET) to grosser crude protein. The salinity negatively affects the levels of neutral detergent fiber, acid detergent fiber, hemicellulose, cellulose and lignin, with the increase of the irrigation slides. There was a relationship between the minimum irrigation depth and the maximum values of the macrominerals studied, indicating that the effect of salinity becomes higher when the applied water is reduced, requiring a greater contribution of mineral contents by plants under these conditions.
Descrição: SILVA, Eranildo Brasil da Composição mineral e química em Panicum maximum cv. brs zuri submetida a diferentes níveis de salinidade e lâminas de irrigação. 2017. 72 f. Dissertação (Dissertação em Zootecnia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/27497
Aparece nas coleções:PPGZO - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_dis_ebsilva.pdf740,28 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.