Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26841
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMontenegro Junior, Renan Magalhães-
dc.contributor.authorFernandes, Virgínia Oliveira-
dc.date.accessioned2017-10-25T17:25:29Z-
dc.date.available2017-10-25T17:25:29Z-
dc.date.issued2009-08-31-
dc.identifier.citationFERNANDES, V. O. Prevalência de alterações vestibulares em indivíduos com síndrome metabólica e sua relação com risco cardiometabólico. 2009. 110 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26841-
dc.description.abstractMetabolic Syndrome (MS) is a prevalent disorder that increases cardiovascular risk (CVR) and increases the risk to develop DM. Metabolic disorders are also related to vestibular symptoms as dizziness and vertigo. The inner ear spends much energy for its appropriate operation. Due to the high sensibility of the vestibular system, is very frequently the relationship between vestibular symptoms and metabolic abnormalities. This study intent to verify the occurrence of abnormalities in vestibular system using the vectoelectronystamography (VENG) in patients with metabolic disorders and its relationship with CVR. After a campaign to detect metabolic syndrome in a Health Center of Fortaleza, 78 individuals were evaluated. They were not diabetics or were using any medication. The age was 38.1 ± 10.7 years old and 74.4% were female. After clinical and laboratory evaluation, 38% were diagnosed with MS and 62% did not. Those groups were matched for sex and age. In the analysis of MS components, measures of BMI, waist circumference, systolic BP, diastolic BP, triglycerides, fasting glucose, glucose at 120 minutes were significantly higher in MS patients, whereas HDL-C was lower. Other metabolic parameters evalueted as uric acid GT, ALT, AST, and HOMA-IR were significantly higher in MS group. In the comparative analysis of both groups, the presence of vestibular disorders symptoms were found in 33.3% of the group without MS and in 63.3% of the MS group. When specific symptoms were analyzed, it was observed that the MS group reported most frequently dizziness and / or vertigo compared with the group without SM (p = 0.01). The findings of VENG in the MS group showed that 66.7% had anormal findings and Just against 20.8% of the group without MS. In MS group, we found a significantly higher prevalence of irritative disease than deficiency disease (p <0.0001). We conclude that patients with MS have a higher prevalence of vestibular-cochlear abnormalities comparing to individuals without MS. It occurs even in patients recently diagnosed and without other complications. That suggests that vestibular disorders are an early manifestation of MS. Thus, patients with vestibular complaints should be routinely investigated for metabolic abnormalities.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectVestibulopatia Bilateralpt_BR
dc.subjectSaúde Públicapt_BR
dc.titlePrevalência de alterações vestibulares em indivíduos com síndrome metabólica e sua relação com risco cardiometabólicopt_BR
dc.typeDissertationpt_BR
dc.description.abstract-ptbrA Síndrome Metabólica (SM) é uma condição de alta prevalência que aumenta o risco cardiovascular (RCV) e de desenvolvimento de DM. Os distúrbios metabólicos também são relacionados a sintomas vestibulares como tontura e vertigem. A orelha interna despende muita energia para seu adequado funcionamento, sendo freqüente a relação de sintomas vestibulares com alterações do sistema metabólico. Esse estudo objetivou verificar a prevalência de alterações do sistema vestibular diagnosticada pela vectoeletronistagmografia (VENG) em portadores de SM, correlacionando-os com fatores de RCV. Foram avaliados 78 indivíduos atendidos em uma Campanha para detecção de Síndrome Metabólica em um Centro de Saúde de Fortaleza. Nenhum deles era diabético ou fazia uso de qualquer medicação. A idade variou de 38,1±10,7 anos e 74,4% eram do sexo feminino. Após a avaliação clínica e laboratorial, observou-se que 38% eram portadores de SM e 62% não. Os grupos estavam pareados para sexo, idade. Na análise quanto aos componentes da SM, as medidas de IMC, circunferência abdominal, PA sistólica, PA diastólica, triglicerídeos, glicemia de jejum, glicemia aos 120 minutos foram significativamente mais elevadas no com SM, enquanto o HDL-C foi mais baixo. Observou-se também que outros parâmetros metabólicos avaliados, como ácido úrico, GT, TGO, TGP, e HOMA-IR estavam significativamente mais elevados no grupo com SM. Na análise comparativa dos grupos quanto à presença de sintomas sugestivos de vestibulopatia, encontrou-se que 33,3% do grupo sem SM e 63,3% do grupo com SM apresentavam alguma sintomatologia. Quando analisados os sintomas específicos, observou-se que os indivíduos com SM referiram com maior frequência tontura e/ou vertigem, quando comparados com o grupo sem SM (p=0,01). Analisando os achados da VENG, encontrou-se que no grupo com SM 66,7% apresentavam VENG alterada contra 20,8% dos indivíduos sem SM. Nos indivíduos com SM, encontrou-se uma prevalência significativamente maior de doença irritativa que de doença deficitária (p<0,0001). Conclui-se que portadores de SM apresentam maior prevalência de alterações no aparelho vestibulo-coclear quando comparados a indivíduos sem SM, mesmo em pacientes com diagnóstico recente e sem outras complicações, sugerindo que as alterações no aparelho vestibular aparecem precocemente. Assim, pacientes com queixas de vestibulopatia deveriam ser rotineiramente investigados para a possibilidade de apresentarem alterações metabólicaspt_BR
Appears in Collections:DSC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_dis_vofernandes.pdf1,23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.