Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26559
Title in Portuguese: As cores violetas: a construção da memória afetiva através da autoetnografia visual
Title: The violet colors: the construct of afetive memory through a visual autoethnograph
Author: Oliveira, Fernanda Cunha
Advisor(s): Paula, Silas José de
Keywords: Fotografia
Álbum de família
Autoetnografia
Photography
Visual autoethnography
Issue Date: 2012
Citation: Oliveira, F. C.; Paula, S. J. (2012)
Abstract in Portuguese: Este trabalho é resultado de um processo de autoetnografia, realizado a partir da experiência de construção de uma auto-narrativa fotográfica como forma ensaística e que vai discutir questões que vem desse processo relacionados à memória como uma questão fundamental, oferecendo um convite à reflexão sobre a construção da minha memória afetiva como indivíduo na sociedade e sua representação nos álbuns de família. A pesquisa questiona como os álbuns podem representar os valores de ritos estabelecidos na cultura ocidental e de que maneira a fotografia ocupa um lugar privilegiado na história das sociedades. Também investigo de que maneira a minha subjetividade e a minha herança antropológica e sociocultural definem a formação das imagens em minha mente e a construção da minha memória. E esta não é uma questão só minha, mas como o trabalho de todo artista que está dentro de sua obra. Utilizo-me da minha experiência como artista para pensar uma questão que me ultrapassa. Não é uma questão do outro apenas, mas uma questão que me ultrapassa em direção ao outro. Assim, proponho um percurso metodológico autoetnográfico visual em que a realidade estudada é o universo do pesquisador. O projeto constrói uma narrativa visual ao final do trabalho tendo como resultado um álbum de família, mas para isto desenvolvo esta dissertação fundamentada em três bases correlacionadas: a imagem, a memória e a autoetnografia. A imagem como uma forma de diálogo e escrita é o pilar deste trabalho.
Abstract: This work is the result of an autoethnography process, realized from the experience of building a photographic self-narrative as an essay that will discuss issues which comes from this process related to memory as a key issue, offering an invitation to a reflection on the construction of my affective memory as a man in society and his representation in family albums. This research questions how the albums can represent the values of established rites in western culture and how the photography has a special place in the history of societies. It also investigates how my subjectivity and my anthropological and sociocultural heritage define the formation of images on my mind and the construction of my memory. And this is not only a question of my own, but as the work of every artist that is within his work. I use my experience as an artist to think about an issue beyond me. It is not a matter of just another one, but a matter that goes beyond me towards the other. Thus, we propose a visual autoethnographic methodological route in which the reality is the researcher’s universe. The project constructs a visual narrative at the end of the work resulting in a family album, but for that I develop this dissertation based on three correlated bases: image, memory and autoethnography. The picture as a form of dialogue and writing is the cornerstone of this work.
Description: OLIVEIRA, Fernanda Cunha. As cores violetas: a construção da memória afetiva através da autoetnografia visual. 2012. 106f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Comunicação Social, Fortaleza (CE), 2012.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26559
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGCOM - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_dis_fcoliveira.pdf3,72 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.