Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26167
Title in Portuguese: Relatório antropológico e comunidades remanescentes de quilombos: o despertar de uma identidade
Author: Monteiro, Francisco Herbert Pimentel
Advisor(s): Vale, Alexandre Fleming Câmara
Keywords: Quilombo
Discurso
Identidade
Anthropological report
Anthropology
Issue Date: 2016
Citation: Monteiro, F. H. P.; Vale, A. F. C. (2016)
Abstract in Portuguese: Com a promulgação da Constituição Federal de 1988, os espaços para a participação da sociedade civil na definição e implementação das políticas públicas no Brasil ampliaram-se significativamente. Vários setores minoritários da sociedade brasileira, como negros índios, mulheres e homossexuais, saíram às ruas para reivindicar seus direitos. Um desses grupos que passaram a reivindicar sua identidade e ancestralidade negra foram as comunidades que guardavam descendências com pessoas que foram escravizadas no Brasil. Assim sendo, a Tese tem como objeto de estudo a elaboração do Relatório Antropológico. Essa peça faz parte da produção de Relatórios Técnicos de Identificação e Delimitação (R.T.I.D.). Esse documento é utilizado para a regularização fundiária de territórios de comunidades remanescentes de quilombos. O trabalho discute a formação da identidade e do território quilombola a partir da elaboração do relatório antropológico e do discurso implementado pelo antropólogo na comunidade, respaldado por uma prática científica e social. Busca-se, aqui, compreender, a partir dos conceitos de movimentos sociais, sociedade civil, identidade, discurso e redes sociotécnicas, como são produzidos territórios de comunidades quilombolas enquanto verdades passíveis de serem reconhecidas pelo estado brasileiro. Nesta discussão, observamos que o relatório antropológico é ativamente produzido na e por meio da representação. Esse trabalho também aborda a participação das comunidades quilombolas como sujeitos sociais coletivos, como membros ativos de organizações populares da sociedade civil. Veremos que o sujeito quilombola, portador de uma identidade ex-escrava, não se configura a partir de uma ideia iluminista, em que o indivíduo era centrado, unificado, dotado das capacidades de razão, de consciência e de ação, cujo centro consistia num núcleo interior. A identidade, que sempre esteve ligada à perspectiva do Estado-nação, agora sofre profundas transformações e essas, consequentemente, difundidas pelos novos discursos globalizados. E uma dessas transformações será feita pelo próprio discurso científico antropológico.
Abstract: With the promulgation of the 1988’s Federal Constitution in Brazil, the spaces for civilian society’s participation in the implementation of public policies had increased substantially. Various minority sectors of the Brazilian society, like indians, women, homossexuals etc. took the streets to claim for their rights. One of this groups who claim their black identity and ancestry was the communities of descendants of former Brazilian slaves. Therefore, the thesis presents its object in the elaboration of an Anthropological Report. This piece is a part of the production in Tecnichal Reports of Identification and Delimitation (RTID). This document is used for the land regularization of the communitary territories of remaining quilombos. The work discusses about the formation of identity and the quilombola territorry starting with the elaboration of the anthropological report and discourse in these communities, implemented by the anthropologist as a social and cientifical praxis. The aim here is to comprehend by the concepts of social movement, civil society, identity, discourse and social-technical networks about how are produced quilombola groups as truths that can be recognized by the Brazilian State. In this discussion we observe that the anthropological report is actively produced by the means of representation. The thesis also approaches of the quilombola communities’ participation as colective subjects and active members in popular organizations of the civillian society. We will see that the quilombola subject, owner of an ex-slave identity, don’t configurates itself as a illuminist idea of a well centered and unified individual. The identity that was always linked to the State-Nation perspective and now passes by profound transformations of the globalized discourses. One of this transformations will be made by the own scientifical discourse in anthropology.
Description: MONTEIRO, Francisco Herbert. Relatório antropológico e comunidades remanescentes de quilombos: o despertar de uma identidade. 2016. 164f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Sociologia, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/26167
Appears in Collections:PPGS - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_tese_ fhpmonteiro.pdf1,15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.