Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24856
Title in Portuguese: Fatores associados à testagem para o HIV e soroprevalência de HIV na população penitenciária feminina do Brasil: resultados de um inquérito nacional
Title: Factors associated with HIV testing and HIV seroprevalence in the Brazilian female penitentiary population: results of a national survey
Author: Freire, Deborah Gurgel
Advisor(s): Kendall, Bernard Carl
Keywords: Soroprevalência de HIV
Testes Sorológicos
Prisões
Mulheres
Issue Date: 23-Jun-2017
Citation: FREIRE, D. G. Fatores associados à testagem para o HIV e soroprevalência de HIV na população penitenciária feminina do Brasil: resultados de um inquérito nacional. 2017.139 f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.
Abstract in Portuguese: Esta pesquisa teve como objetivo identificar a testagem para o HIV no ambiente prisional e a soroprevalência de HIV entre a população penitenciária feminina brasileira. Estudo transversal, realizado com 1.327 mulheres em 15 penitenciárias femininas em 9 estados brasileiros, selecionadas através de amostragem em múltiplos estágios, realizada no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2015. A análise foi realizada através do STATA® 11.0 e SPSS® 22.0. Análise de associações com o evento de interesse foi feita pelo teste do qui-quadrado de Pearson utilizando o delineamento de amostragem complexa. A magnitude das associações foi estimada pelo cálculo de OR ponderado, com IC de 95%. Para avaliar as variáveis explicativas para a testagem na prisão, foi utilizado o modelo de regressão logística com múltiplas variáveis independentes. Estudo aprovado pelo CEP nº188.211,31, financiado pelo Ministério da Saúde - Departamento de Ações Estratégicas Programáticas (DAPES), nº 32/2012, Coordenação de aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, nº 71/2013. De acordo com os dados, em relação as características das mulheres que apresentaram soroprevelência positiva para o HIV (2,3%), foi encontrada uma maior prevalência do HIV em mulheres com baixa escolaridade (4,1%), com parceiro fixo (3,8%), ter morado na rua (6,6%) e ter sido presa 3 vezes ou mais (4,0%). Em relação a testagem para o HIV na prisão, os resultados apontam que as presidiárias com idade maior ou igual a 41 anos (OR=1,891; 95%IC=1,222 - 2,927), com nível de escolaridade mais elevado (OR=1,878; 95%IC=1,269 - 2,780), ter sido presa 3 ou mais vezes (OR=1,884; 95%IC= 1,286 - 2,758), ter recebido informação sobre HIV e outras IST alguma vez na vida (OR=1,434; 95%IC=1,079 - 1,906), achar que tinha pouca chance de se infectar com o HIV antes de ser presa (OR=1,721; 95%IC=1,185 - 2,498), tiveram maior chance de ter feito o teste para o HIV na prisão. Todavia, ser da raça negra ou parda (OR=0,736; 95%IC= 0,544 - 0,997) e ter parceiro sexual masculino (OR=0,635; 95%IC=0,464 - 0,869), foram fatores que mostraram ter reduzido as chances de realizar o teste para o HIV na prisão. Apesar das recomendações nacionais e internacionais a realização de forma efetiva da testagem para HIV na prisão, ainda se observa a deficiência de estudo de abrangência nacional que avaliem a situação do teste para o HIV e soroprevalência de HIV na população penitenciária feminina brasileira. Essa situação pode interferir no planejamento e a execução das políticas públicas existentes. Portanto, os resultados deste estudo poderão contribuir para subsidiar a implementação de referidas políticas públicas, e definição de ações visando ao controle e redução dos agravos à saúde relacionadas a infecção pelo HIV no ambiente prisional.
Abstract: This study aimed to evaluate testing for HIV in prison and the prevalence of HIV among the Brazilian female prison population. This is a cross-sectional study involving 1,327 women in 15 prisons for women in nine Brazilian states, selected through multi-stage sampling, conducted from January 2014 to December 2015. Descriptive analysis and the 95% confidence interval were performed using STATA® 11.0 and SPSS® 22.0. Analysis of associations with the event of interest was done by the Pearson's chi-squared test (χ2). The magnitude of the associations was estimated by calculating the weighted odds ratio, at 95% significance level. To assess the explanatory variables for testing in prison, the logistic regression model with multiple independent variables was used. The study was approved by the CEP n.188.211,31, financed by Ministry of Health in Brazil by Department of Strategic Programmatic Actions (DAPES), n. 32/2012, Coordination of Improvement of Higher Level Personnel - CAPES and National Council of Scientific and Technological Development - CNPq, n.71/2013. According to the results, the characteristics of women who presented a higher positive HIV seroprevalence (2.3%) included women who had low education (4.1%), women who had a partner (3,8%), women who had lived on the street (6.6%) and women who had been arrested 3 times or more (4.0%). Regarding HIV testing, the results indicate that prisoners at age 41 or older (OR = 1.891, 95% CI = 1.222 - 2.927), with a higher-level education (OR=1,878; 95%IC=1,269 - 2,780), who had been arrested 3 or more times (OR = 1.884, 95% CI = 1.286 - 2.758), who had received information about HIV and other STIs at some time in their lives (OR = 1.434, 95% CI = 1.079 - 1,906) and who thought they might have been infected with HIV before having been arrested (OR = 1.721; 95% CI = 1.185-2.498), have a higher chance to be tested for HIV in prison. On the contrary, being African American or mulatto (OR = 0.736; 95% CI = 0.544 to 0.997) and having a male sexual partner (OR = 0.635; 95% CI = 0.464 to 0.869) were factors that were shown to have reduced chances of performing the test for HIV in prison. Despite the national and international recommendations to effectively carry out HIV testing in prison, the deficiency of a nationwide study that assesses the status of HIV testing and HIV seroprevalence in the Brazilian female prison population is still observed. This situation may interfere with the planning and implementation of existing public policies. Therefore, the results of this study may contribute to subsidize the implementation of these public policies, and define actions aimed at controlling and reducing health problems related to HIV infection.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24856
Appears in Collections:DSC - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_tese_dgfreire.pdf3,74 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.