Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24371
Título: Fatores de virulência e produção de biofilme de Bacteroides fragilis isolados da microbiota intestinal de cães
Título em inglês: Factors of virulence and biofilm production of Bacteroides fragilis isolated from the intestinal microbiota of dogs
Autor(es): Reis, Ana Catarina Martins
Orientador(es): Carvalho, Cibele Barreto Mano de
Palavras-chave: Bacteroides fragilis
Biofilmes
Fatores de Virulência
Cães
Data do documento: 8-Jan-2013
Citação: REIS, A. C. M.; CARVALHO, C. B. M. (2013)
Resumo: Bacteroides fragilis faz parte da microbiota fecal de animais, contudo é a espécie mais patogênica do gênero Bacteroides. A sua transformação de um microrganismo comensal para agente patogênico deve-se principalmente aos seus fatores de virulência. Este micro-organismo tem sido isolado de diversas infecções em cães. Considerando o potencial patogênico de B. fragilis e sua importância na medicina veterinária, o presente trabalho foi elaborado com o objetivo de avaliar os fatores de virulência e formação de biofilme de Bacteroides fragilis isolados de amostras fecais de cães. As amostras utilizadas neste estudo foram coletadas na Clinica Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (UECE) e processadas no Laboratório de Bacteriologia da Universidade Federal do Ceará (UFC). Foram analisadas fenotipicamente os fatores de virulência (produção de hemolisinas e hemaglutininas, hidrofobicidade, presença da enzima - lactamase e cápsula) e produção de biofilme de 13 cepas da espécie B. fragilis. Para determinação do perfil de sensibilidade a clindamicina, metronidazol, cloranfenicol e penicilina foi utilizada a técnica de diluição em Agar. Os ensaios in vitro para detecção de biofilme foram realizados pelos métodos Agar Vermelho Congo (AVC) e Adesão em microplacas. Todas as cepas de B. fragilis apresentaram cápsula e não produziram hemólise. Com relação à produção de hemaglutininas, 38% das cepas são capazes de aglutinar sangue canino e 15% em sangue humano (A+). Das cepas estudadas, 7% apresentaram uma superfície celular hidrofóbica. No total, 61% das cepas produziram teste da - lactamase positivo. Quanto a produção de biofilme, foi observado pelo método do AVC que 12 (92,3%) dos isolados eram produtores de biofilme e por meio do método de Adesão em Microplacas, verificou-se que 8 (61,5%) cepas foram capazes de produzir biofilme. Todos os isolados foram sensíveis ao metronidazol e cloranfenicol e resistentes à penicilina. A taxa de resistência à clindamicina foi de 69,2%. Esse estudo mostrou que espécies de B. fragilis isolados da microbiota normal de cães apresentaram fatores de virulência importantes para sua patogenicidade, possuem a capacidade de formar biofilme e demonstram uma alta taxa de resistência a clindamicina.
Abstract: Bacteroides fragilis is part of the fecal microbiota of animals, yet it is the most pathogenic species of the genus Bacteroides. The transformation these microrganisms commensals in pathogens agents is mainly due to its virulence factors. This microorganism has been isolated from several infections in dogs. Considering the pathogenic potential of B. fragilis and its importance in veterinary medicine, this study was designed to evaluate the virulence factors and biofilm formation of Bacteroides fragilis isolated from fecal samples from dogs. The samples used in this study were collected at the Veterinary Clinic of the State University of Ceará and processed at the Laboratory of Bacteriology of the Federal University of Ceará. Were phenotypically analyzed the virulence factors (production of hemolysins and hemagglutinins, hydrophobicity, the presence of the enzyme β-lactamase and capsule) and biofilm production of 13 strains of B. fragilis. To determine the pattern of sensitivity to clindamycin, metronidazole, chloramphenicol and penicillin was used in agar dilution technique. In vitro assays for detection of biofilms were performed by the methods Congo Red agar and Accession in microplates. All strains of B. fragilis showed capsule and produced no haemolysis. Regarding the production of hemagglutinin, 38% of the strains showed hemagglutination when used canine blood and 15% in human blood (A+). Of the strains studied, 7% had a cell surface hydrophobic. In total, 61% of the strains showed β-lactamase test positive. As regards the production of biofilm was observed by the method of strokes that 12 (92.3%) of the biofilm producers were isolated by the method and Adhesion microplates, it was found that eight (61.5%) strains were able to produce biofilm. All isolates were susceptible to metronidazole and resistant to penicillin and chloramphenicol. The rate of clindamycin resistance was 69.2%. This study showed that species B. fragilis isolated from normal canine microflora showed major virulence factors for pathogenicity, they possess the ability to form biofilms and show a high rate of resistance to clindamycin.
Descrição: REIS, A. C. M. Fatores de virulência e produção de biofilme de Bacteroides fragilis isolados da microbiota intestinal de cães. 2013. 87 f. Dissertação (Mestrado em Microbiologia Médica) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24371
Aparece nas coleções:DPML - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_dis_acmreis.pdf81,21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.