Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22194
Title in Portuguese: Marx crítico de Hegel: para além da democracia como consciência infantil da razão
Author: Vieira, Júlia Lemos
Keywords: História
Direito
Razão
Estado
Propriedade privada
Issue Date: 2013
Publisher: Revista Dialectus
Citation: Vieira, J. L. (2013)
Abstract in Portuguese: Hegel buscou em seus Princípios da Filosofia do Direito uma resolução para a antinomia moderna entre Estado e sociedade civil esboçada numa Filosofia da História particular, a qual desenvolvera uma irreconciliável oposição entre liberdade real e democracia. Tais Princípios logo chamarão a atenção do Marx republicano no momento em que este tensionava-se com a dialética hegeliana e os movimentos comunistas que insurgiam na França. Para Hegel, a razão mais filosófica teria ultrapassado o momento do Estado democrático porque este fora a razão em sua consciência infantil obrigando-a a realizar-se absolutamente consciente apenas na unidade madura de uma Monarquia Constitucional. Para Marx, entretanto, a irrevogabilidade da perdição da inocência de Hegel é antes a admissão de uma irrevogabilidade do domínio da propriedade privada, a qual fundamentara a ilusão de uma solução formal como solução real. A Crítica à Filosofia do Direito de Hegel de Marx indicará que apenas a dissolução do interesse público como uma forma em si traria a liberdade humana efetiva e que o aprofundamento da democracia demandaria justamente tal dissolução ao desenvolver a dissolução da propriedade privada em seu caráter de interesse público.
Abstract: Hegel sought in his Principles of Philosophy of Right a resolution to the modern antinomy between State and civil society outlined in a particular Philosophy of History, which had developed an irreconcilable opposition between real freedom and democracy. These principles will catch soon the attention of the Republican Marx at the time he was tensioned with the Hegelian dialectic and communist movements that emerged in France. According to Hegel, the most philosophical reason would have exceeded the time of the democratic State, because this was the reason in its children's consciousness forcing it to make itself absolutely conscious only in the mature unit of a Constitutional Monarchy. For Marx, however, Hegel’s irrevocability of innocence destruction is before the admission of an irrevocability of the private property domain, which has substantiated the illusion of a formal solution as a real solution. The work Critique of Hegel's Philosophy of Right written by Marx indicates that only the public interest dissolution, as a way in itself, would bring the effective human freedom and that the strengthening of democracy would demand exactly such dissolution to develop the dissolution of private property in its character of public interest.
Description: VIEIRA, Júlia Lemos. Marx crítico de Hegel: para além da democracia como consciência infantil da razão. Revista Dialectus, Fortaleza, ano 2, n. 3, p. 84-102, jul./dez. 2013.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22194
ISSN: 2317-2010
Appears in Collections:PPGEB - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_art_jlvieira.pdf527,44 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.