Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1968
Title in Portuguese: Vivenciando o cuidar do filho asmático : respostas emocionais da mãe
Title: Taking care of the asthmatic child : emotional responses of the mother
Author: Lima, Luísa Helena de Oliveira
Advisor(s): Braga, Violante Augusta Batista
Keywords: Saúde Mental
Relações Mãe-Filho
Doenças Respiratórias
Issue Date: 2005
Citation: LIMA, L. H. O. Vivenciando o cuidar do filho asmático : respostas emocionais da mãe. 2005. 90 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2005.
Abstract in Portuguese: A asma, considerada a mais importante alergia respiratória, é uma doença crônica caracterizada por inflamação e obstrução das vias aéreas, de grande prevalência, com sérias implicações físicas, sociais e econômicas, determinando sofrimento ao indivíduo portador e a seus familiares. A sintomatologia de tosse, sibilância e dispnéia assustam o paciente e as pessoas que estão próximas. Quando o paciente é criança, o sofrimento parece ser maior e a família, em especial a mãe, se torna angustiada e insegura, procurando meios para atender a criança. O medo de que a criança entre em crise e sofra, leva, especialmente, a mãe, como principal cuidadora, a viver em estado de alerta. O presente estudo teve por objetivo geral apreender as respostas emocionais da mãe relativas à sua vivência ao cuidar do filho asmático. Pesquisa de natureza qualitativa e descritiva, realizada com nove mães assistidas pelo Programa de Atenção Integral à Criança com Asma de um hospital infantil de Fortaleza – CE. Os dados foram produzidos através de entrevista com os sujeitos de estudo, atendendo o que prevê a Resolução 196/96 e analisados através do método de análise de conteúdo de Bardin (1977). Do discurso das mães emergiram quatro categorias: o despertar para a doença; lidando com o filho asmático; o significado de cuidar de uma criança com asma e o estilo de vida da criança. No momento da descoberta, os sentimentos que apareceram foram: preocupação, dificuldade de lidar, mal-estar, tristeza, medo, susto e desespero. Com relação à vivência diária com a criança asmática, foram identificadas tanto respostas emocionais favoráveis, tais como, bem-estar, alívio, felicidade e menos preocupação; como respostas emocionais desfavoráveis, destacando-se: sentir-se vilã, constrangimento, nervosismo, preocupação e medo. O comportamento das mães apresentou mudanças relacionadas com: alterações ambientais; demanda por mais cuidados; restrições alimentares e imposição de limites mais rígidos à criança. Observaram-se, também, mudanças relacionais tanto à vida da mãe, quanto à da criança. Para a mãe, cuidar de uma criança asmática significa preocupação, anulação, sofrimento, isolamento, limitação na vida da criança e ampliação das medidas de higiene ambiental. Cinco crianças possuíam estilo de vida compatível com a idade e quatro encontravam-se limitadas pela asma, tendo em vista as limitações impostas por suas mães. Pode-se concluir que a asma interfere de modo contundente na vida destas mães e de seus filhos. Sugere-se, então, que durante o atendimento destas crianças os profissionais de saúde, em especial o enfermeiro, fiquem atentos, não somente às condições clínicas da criança, mas, também, às respostas emocionais da mãe, visto que esta é essencial para a manutenção da qualidade de vida do filho.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1968
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2005_dis_lholima.pdf264 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.