Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16742
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorDuarte, Paulo Mosânio Teixeira-
dc.date.accessioned2016-05-12T12:45:35Z-
dc.date.available2016-05-12T12:45:35Z-
dc.date.issued1996-
dc.identifier.citationDuarte, P. M. T. (1996)pt_BR
dc.identifier.issn0101-8051-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16742-
dc.descriptionDUARTE, Paulo Mosânio Teixeira. Fato de estilo: uma questão em aberto. Rev. de Letras, Fortaleza, v. 18, n. 2, p. 44-53, jul./dez. 1996.pt_BR
dc.description.abstractThis paper aims to present, in a critical way, some usual definitions of style, according to Enkvist’s book named Lingüística e Estilo. We divide them into two groups. One of them concerns definitions based on metaphysical and psycological grounds; the other one comprehends definitions which take into account the following parameters: emphasis; choice; individual characteristics; deviation related to a norm; set of collective characteristics; and relationships between linguistic entities in texts longer than sentences. Finally, as a conclusion, we recognize that the riffaterrean conception about Stylistics is more operative.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherRevista de Letraspt_BR
dc.subjectEstilopt_BR
dc.subjectNormapt_BR
dc.subjectFalapt_BR
dc.subjectDesviopt_BR
dc.subjectEscolhapt_BR
dc.subjectFrequênciapt_BR
dc.titleFato de estilo: uma questão em abertopt_BR
dc.typeArtigo de Periódicopt_BR
dc.description.abstract-ptbrEste artigo pretende apresentar criticamente algumas definições usuais de estilo, conforme o livro de Enkvist et alii, Lingüística e Estilo. Dividimo-las em dois grupos de definições, num deles listamos definições de cunho metafísico e psicológico; noutro, algumas de caráter mais lingüístico, em se que consideram os seguintes fatores: ênfase; escolha; características individuais; desvio de uma norma; conjunto de características coletivas; e relações entre entidades lingüísticas formuláveis em textos mais extensos que a sentença. Ao final, feito o balanço, concluímos que a concepção riffaterreana é a que melhor satisfaz os requisitos para a existência da Estilística.pt_BR
Appears in Collections:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
1996_art_pmtduarte.pdf102,04 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.