Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15911
Title in Portuguese: A tradução do fluxo de consciência literário na trilha musical do filme The Hours
Title: The translation of literary stream of consciousness in the soundtrack of the film The Hours
Author: Rodrigues, Isadora Meneses
Advisor(s): Reinaldo, Gabriela Frota
Keywords: Stream of consciousness
Literature
Cinema
Roteiros cinematográficos
Representação cinematográfica
Música
Issue Date: 2015
Publisher: www.teses.ufc.br
Citation: Rodrigues, I. M.; Reinaldo, G. F. (2015)
Abstract in Portuguese: Este trabalho tem por objetivo analisar o filme The Hours (2002), adaptação cinematográfica do romance homônimo de Michael Cunningham (1998). No livro, o fluxo de consciência é utilizado para representar a percepção interior dos personagens. Para a tradução da técnica, principal desafio do processo de adaptação segundo o roteirista David Hare (2002), evitou-se o flashback e voice-over. No lugar da descrição do pensamento, o filme transforma a subjetividade dos personagens em ação exterior, por meio dos diálogos e da caracterização dos atores. O nosso pressuposto é de que a trilha musical, composta pelo músico norte-americano Philip Glass, é o elemento fílmico que sugere a expressão de um fluxo de consciência na película. Não só pelo estilo da composição, pós-minimalista, se aproximar de conceitos estéticos da ficção de fluxo de consciência, mas também pelo modo como essa música se entrelaça às imagens. Nesse sentido, procuramos articular autores da teoria literária (Wood, 2012; Humphrey, 1979), dos estudos musicais (Gorbman, 1987; Ross,2009) e da cultura visual (Mitchell, 1986; Rancière, 2009) para tratar da relação entre texto, imagem em movimento e som. Consideramos que esses elementos estão em constante convergência na contemporaneidade, já que a literatura, o cinema e a música estão inseridos em um mundo onde há um deslocamento contínuo entre as instâncias do dizível e do visível.
Abstract: This dissertation aims to analyze the The Hours (2002), a film adapted from the homonymous novel written by Michael Cunningham (1998). In the book, the stream of consciousness is utilized to represent the inner perception of the characters. To translate the technique, the main challenge in the adaptation process, according to the screenwriter David Hare (2002), flashback and voice-over were avoided. Instead of describing thoughts, the movie transforms subjectivity in external actions, through dialogues and the characterization of the actors. Our hypothesis is that the score, composed by the American musician Philip Glass, is the filmic element that suggests the expression of the stream of consciousness in the movie. Not only the post-minimalism aesthetic is close to concepts of the stream of consciousness fiction, but also the way the music intertwines itself with images. This way, we try to articulate ideas by authors of literary theory (Wood, 2012; Humphrey, 1979), musical studies (Gorbman, 1987; Ross, 2009) and visual culture (Mitchell, 1986; Rancière, 2009) to deal with the relationship between text, moving image and sound. We consider these elements are in constant convergence in contemporaneity, since literature, cinema and music are inserted into a world where there is a constant displacement between the instances of the speakable and of the visible, in which forms and materialities are constantly mixing up.
Description: RODRIGUES, Isadora Meneses. A tradução do fluxo de consciência literário na trilha musical do filme The Hours. 2015. 129f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Comunicação Social, Fortaleza (CE), 2015.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15911
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGCOM - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_dis_imrodrigues.pdf2,62 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.