Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15552
Title in Portuguese: Construção e Validação de protocolo clínico para utilização de pessário vaginal
Title: Construction and validation of clinical protocol for use vaginal pessary
Author: Catunda, Hellen Lívia Oliveira
Advisor(s): Aquino, Priscila de Sousa
Co-advisor(s): Vasconcelos, Camila Teixeira Moreira
Keywords: Distúrbios do Assoalho Pélvico
Prolapso de Órgão Pélvico
Pessários
Issue Date: 2016
Citation: CATUNDA, H. L. O. Construção e validação de protocolo para utilização de pessário vaginal. 2016. 134 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.
Abstract in Portuguese: O prolapso de órgãos pélvicos é considerado a descida do conteúdo pélvico e/ou intraperitoneal pelo canal vaginal. Dentre os tipos de tratamentos conservadores, tem-se o pessário. Entende-se que o uso do dispositivo é uma opção viável, pois é um tratamento de primeira linha, de baixo custo e de baixo risco. A consulta a mulheres com esse agravo necessita ser sistematizada, e, dentre as ferramentas que auxiliam nessa sistematização, tem-se a utilização dos protocolos clínicos. Dessa forma, o objetivo geral do estudo foi desenvolver protocolo clínico para o tratamento conservador do prolapso de órgãos pélvicos com pessário vaginal. Tratou-se de uma pesquisa de desenvolvimento a qual ocorreu de julho de 2015 a janeiro de 2016, dividindo-se em cinco etapas: 1) Refinamento dos tópicos/questões do protocolo; 2) Revisão sistemática; 3) Estabelecimento de recomendações para pesquisa e atualização da diretriz/protocolo; 4) Revisão por pares do protocolo; 5) Planejamento de disseminação da diretriz/protocolo, incluindo localização e avaliação. O instrumento utilizado para a avaliação da qualidade do protocolo foi o Appraisal of Guidelines for Research and Evaluation. A análise se deu pelo programa SPSS versão 20.0, pelo Índice de Validade de Conteúdo e por uma fórmula própria do instrumento de avaliação que calcula a pontuação de qualidade do protocolo. Para refinar os tópicos/questões do protocolo clínico, realizou-se brainstorming eletrônico com cinco profissionais da área de Uroginecologia, entrevista com quatro usuárias de pessário vaginal e imersão da pesquisadora no serviço. Após delimitação dos tópicos norteadores, realizou-se revisão integrativa por meio das bases de dados PUBMED/MEDLINE, LILACS, SCOPUS, COCHRANE, CRD, WEB OF SCIENCE e REBRATS, utilizando-se os descritores controlados “pelvic organ prolapse”, “pessaries” e “pessary”, e em livros publicados com o intuito de selecionar estudos para o embasamento do protocolo clínico. A busca finalizou com 44 artigos. O protocolo foi elaborado em forma de texto, quadros, figuras e fluxogramas em 13 sessões com suas subsessões. Para a revisão do protocolo clínico, utilizou-se a técnica Delphi com sete profissionais de saúde, verificando-se concordância de 0,85 ou mais por meio do Índice de Validade de Conteúdo já na primeira rodada. Na última etapa foi realizada a avaliação da qualidade do protocolo com quatro profissionais de saúde selecionados por critérios definidos, utilizando o instrumento supracitado. As pontuações obtidas em cada domínio foram: Domínio 1 – Escopo e Finalidade: 100%; Domínio 2 – Envolvimento das partes interessadas: 95,8%; Domínio 3 – Rigor do Desenvolvimento: 98,9%; Domínio 4 – Clareza da Apresentação: 95,8%; Domínio 5 – Aplicabilidade: 79,2%; Domínio 6 – Independência Editorial: 93,7%. A pontuação do domínio 5 foi menor devido os juízes não observarem critérios para monitoramento/auditoria no protocolo. Na avaliação global, os juízes recomendaram o uso da diretriz com modificações. O protocolo passou por modificações, ajustes e acréscimos a fim de potencializar sua qualidade. Acredita-se que os profissionais de saúde, ao utilizar o protocolo clínico, se sentirão mais seguros na realização do atendimento a mulher com prolapso na abordagem conservadora com pessário, adquirindo maior conhecimento para embasar sua prática e oferecendo um cuidado de maior qualidade, já que se trata de uma ferramenta válida e pautada em evidências científicas.
Abstract: The pelvic organ prolapse is regarded as the descent of the pelvic contents and/or by intraperitoneal vaginal canal. Among the types of conservative treatments, it has the pessary. It is understood that the use of the device is a viable option as it is a first-line treatment, low cost and low risk. Consultation with women with this injury needs to be systematized, and, among the tools that help in this systematization, there is the use of clinical protocols. Thus, the overall objective of the study was to develop a clinical protocol for the conservative treatment of pelvic organ prolapse with vaginal pessary. It was a development of research which took place from July 2015 to January 2016, dividing into five steps: 1) Refinement of topics/issues of the Protocol; 2) Systematic review; 3) Establishment of recommendations for research and update the guideline/protocol; 4) Review by the protocol peers; 5) Dissemination planning guideline/protocol, including location and evaluation. The instrument used for assessing the quality of the protocol was the Appraisal of Guidelines for Research and Evaluation. The analysis was done by SPSS version 20.0, the Content Validity Index and its own formula of assessment tool that calculates the protocol quality score. To refine topics/issues of the clinical protocol, was held electronic brainstorming with five professionals Urogynecology area, interview with four users of vaginal pessary and immersion of the researcher in the service. After delimitation of the guiding threads, held integrative review through the databases PubMed/MEDLINE, LILACS, Scopus, Cochrane Library, CRD, WEB OF SCIENCE and REBRATS, using controlled descriptors "pelvic organ prolapse", "pessaries" and "pessary", and in published books in order to select studies for the foundation of the clinical protocol. The search ended with 44 articles. The protocol was created in the form of text, tables, figures and flow charts in 13 sessions with their subsections. For the review of the clinical protocol, we used the Delphi technique with seven health professionals, verifying compliance of 0.85 or more through the Content Validity Index already in the first round. In the last step was performed to evaluate the quality protocol with four health professionals selected by defined criteria, using the above instrument. The scores obtained in each sector were: Domain 1 - Scope and Purpose: 100%; Area 2 - Stakeholder engagement: 95.8%; Area 3 - Rigor of Development: 98.9%; Domain 4 - Clarity of presentation: 95.8%; Area 5 - Applicability: 79.2%; Area 6 - Editorial Independence: 93.7%. The score of the domain 5 was lower because the judges do not comply with criteria for monitoring/auditing the protocol. In this overall assessment, the judges recommended the use of guidelines with modifications. The protocol has undergone modifications, adjustments and additions to enhance their quality. It is believed that health professionals, to use the clinical protocol, feel safer in the realization of care to women with prolapse in conservative approach with pessary, acquiring greater knowledge on which to base their practice and providing a higher quality of care, as it is a valuable tool and guided by scientific evidence.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15552
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_dis_hlocatunda.pdf1,2 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.