Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15429
Title in Portuguese: Diagnóstico da esquistossomose mansoni em área de baixa endemicidade através do POC-CCA : comparação com outros métodos e avaliação pós-tratamento
Title: Diagnosis of schistosomiasis in an area of low endemicity through POC-CCA : comparison with other methods and evaluation after treatment
Author: Leal, Joames Kauffimann Freitas
Advisor(s): Bezerra, Fernando Schemelzer de Moraes
Keywords: Schistosoma mansoni
Diagnóstico
Antígenos
Issue Date: 2014
Citation: LEAL, J. K. F. Diagnóstico da esquistossomose mansoni em área de baixa endemicidade através do POC-CCA : comparação com outros métodos e avaliação pós-tratamento. 2014. 94 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.
Abstract in Portuguese: A detecção de antígenos circulante vem se mostrando uma alternativa para os problemas com o diagnóstico da esquistossomose, doença que acomete cerca de 200 milhões de pessoas em 74 países. Um teste imunocromatográfico recém-desenvolvido para a detecção de CCA (POC-CCA, point-of-care) na urina mostrou-se de alta sensibilidade bem como de alta especificidade para o estudo da esquistossomose. A maioria dos estudos ocorreu em zonas de alta endemicidade, na África, e há a necessidade de mais trabalhos para se verificar a precisão diagnóstica do teste em zonas de baixa endemicidade para a esquistossomose e suas diferenças geográficas. Nosso objetivo foi avaliar a eficácia deste kit de diagnóstico para esquistossomose mansoni que detecta o CCA (antígeno Catódico Circulante), em comparação com um método parasitológico e um imunológico, e avaliá-lo como diagnóstico após tratamento quimioterápico, em moradores de uma área de baixa endemicidade. O estudo foi realizado na localidade de Bananeiras, Capistrano, Ceará num período de cerca de seis meses desde a entrada na comunidade até o resultado da 2ª reavaliação. Para a realização dos testes foram usados fezes (Kato-Katz), sangue (SWAP-ELISA) e urina (POC-CCA). A comunidade é composta por 297 habitantes, 285 destes aceitaram participar do estudo e 258 entregaram as três amostras - 118 indivíduos do sexo masculino e 140 do sexo feminino. enquanto que 4 indivíduos (1,6%) se apresentaram positivos segundo o método de Kato-Katz e 105 (40,7%) reativaram no ELISA-SWAP. A técnica POC-CCA é um método prático e rápido, assim se tornando uma ferramenta útil em campo. Os resultados obtidos em nosso estudo mostram alta sensibilidade e especificidade do método, entretanto o padrão-ouro escolhido para as comparações pode ter influenciado os resultados. Os pacientes foram tratados e reavaliados pelo teste imunocromatográfico, três e seis semanas após o tratamento. Utilizado o POC-CCA na avaliação pós-tratamento e comparando T=P com T=N, verificamos que um maior percentual de indivíduos negativou, quando T=P; embora todos os adultos tenham negativado, quando T=N.
Abstract: The detection of circulating antigens has been an alternative to the problems with the diagnosis of schistosomiasis, the disease that affects approximately 200 million people in 74 countries, worldwide. A newly developed immunoassay to detection of CCA (POC-CCA, point- of-care) in urine have shown high sensitivity and specificity for the schistosomiasis study . However, the most of all studies was carryed in areas of high endemicity in Africa, and there is a need for more studies to verify this test’s diagnostic accuracy in low endemic areas and their geographical differences. Our aim was to evaluate the effectiveness of POC-CCA as diagnostic of schistosomiasis, comparing it with a parasitological method and a linked immunosordent method and to evaluate how the POC-CCA behaves after chemotherapy, in residents of an area of low endemicity. The study was conducted for six months in Banananeiras, a village in Capistrano, Ceará, Brazil. Stool (Kato-Katz), blood (SWAP-ELISA) and urine (POC-CCA) were used to perform the tests. The community had 297 inhabitants, 285 of these agreed to participate in the study, and 258 (190 adults and 68 children) gave the three samples. Before treatment, the prevalence of S. mansoni, as determined by triplicate Kato-Katz, POC-CCA considering “P=trace”, POC-CCA considering “N=trace” and SWAP-ELISA was 1,6%, and 40,7%, respectively. The Kato-Katz method had a sensitivity lower than was expected and SWAP-ELISA showed up discordant results. Nevertheless, the results of our study show high sensitivity and specificity of POC-CCA, however, the gold standard chosen for the comparisons may have influenced the results. The patients were treated and re-evaluated by immunoassay, three and six weeks after treatment. POC-CCA used in the post-treatment evaluation and when we compared “P=trace” against “N=trace”, we found a higher percentage of individuals that became negative, considering “P=trace”; although all adults had negated, considering N=trace. Although, six weeks proved to be the best time for reassessment after treatment.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15429
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DPML - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_dis_jkfleal.pdf1,34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.