Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14065
Title in Portuguese: O imaginário acerca da instalação da mineração de urânio em Santa Quitéria, Ceará : estudo sobre a relação do sertanejo com a terra
Title: The Imaginary about installation of uranium mining Santa Quitéria, Ceará : study on the relationship with sertanejo and earth
Author: Frota, Manoela Cavalcanti
Advisor(s): Linhares, Ângela Maria Bessa
Keywords: Saúde Pública
Saúde Ambiental
Riscos Ambientais
Comportamentos Saudáveis
Issue Date: 2014
Citation: FROTA, M. C. O imaginário acerca da instalação da mineração de urânio em Santa Quitéria, Ceará : estudo sobre a relação do sertanejo com a terra. 2014. 122 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.
Abstract in Portuguese: O movimento da relação terra e humano em suas tensões me despertou para a escrita deste projeto de pesquisa onde me proponho a refletir sobre o imaginário que os moradores de Morrinhos e os participantes da I Jornada Antinuclear do Ceará, que aconteceu em Santa Quitéria, constroem acerca da mineração de urânio, ainda em processo de instalação, e, focalizando, nesse contexto, o estudo das relações do sertanejo com a terra, na constituição do território. Através da etnopesquisa crítica me apresento no território com o intuito de vivenciar o cotidiano do lugar, com o olhar refinado para o que constitui a relação do homem com a terra também faço-me parte do lugar. De acordo com Macedo (2004) “distender o tecido da consciência e do mundo”, fazendo aparecer fios complexos, no campo onde se observa as pessoas in situ. Assim, convivendo com elas e observando seu cotidiano, engendra-se “o estudo in vivo” de como se dinamizam construções humanas e cotidianas nos enfrentamentos das realidades, em um “registro da vida ao vivo”. A partir da vivência com as pessoas do Assentamento Morrinhos no ano 2013, pude observar que o imaginário do processo de instalação da mineração de urânio alimentado pelas discussões na I Jornada Antinuclear do Ceará – O presente que temos em Caetité/Ba, o futuro que queremos em Santa Quitéria/Ce, momento em que pessoas que convivem com a mineração de urânio em Caetité contaram suas experiências, mexeu na relação que estes tem com a terra. Antes, o lugar de afeto onde sente-se prazer e também dificuldades devido aos longos períodos de seca, no entanto, com as intempéries aprende-se a conviver. Com a possibilidade de minerar-se urânio surge a ameaça de viver em uma terra contaminada, onde plantar, criar animais ou qualquer atividade que lide com a terra representa risco à saúde. O sertanejo resiste, defende a sua terra, o seu modo de vida, defende e luta por ele e o povo que compõe parte do que ele é. Estudar a relação do homem com a terra e como essa relação é permeada pelo imaginário da mineração de urânio nos permite revelar um saber de vida característico do modo de vida no campo em movimento ao fazer nascer um processo de resistência que existe no que se é em relação com o meio. Os sentimentos de integralidade e união que se mostram na comunidade para defender não só a terra, mas, também o que se é.
Abstract: The relationship that humans all over the world have with nature, in its tensions, awakened me to the writing of this research Project, which I propose to reflect on the imaginary that residents of Morrinhos and participants of the First Antinuclear Journe y of Ceará, held in Santa Quitéria, constructs about of uranium mining, still in the installation process, and focusing, in this context, on the study of backcountryman relationships with the land, in the constitution of the territory. Through critical etn opesquisa I present myself in the territory in order to experience the daily life of the place; with the refined look for what constitutes man's relationship with the land, I also make me part of the place. According to Macedo (2004) "stretch the woof of c onsciousness and the world," by displaying complex strings in the field where we can observe people in situ. Thus, living with them and observing their daily lifes, which caracterizes "in vivo study" of how to dinamize human constructions in the confrontat ion with the realities in a "record of live life." From the experience with people of the Settlement Morrinhos in 2013, I observed that the imaginary of the installation process of uranium mining fueled by discussions on the First Antinuclear Journey of C eará - This we have in Caetité / Ba, the future we want in Santa Quiteria / Ce, at which people living with uranium mining in Caetité told their experiences, moved the relationship they have with the land. Before, the place of affection which feels pleasur e and also difficulties due to long periods of drought, however, with the weather we learn to live with. With the ability to mine uranium up comes the threat of living in a contaminated land, where to plant, raise animals or any activity that deals with th e earth is a health risk. The backcountry resist, defend their land, their way of life, defend and fight for him and the people that make up part of what he is. To study the relationship of man with the land and how this relationship is permeated by uraniu m mining imagination allows us to reveal a knowledge of life characteristic of the way of life in the moving field to give birth to a resistance process that exists as is in relationship with the environment. The feelings of wholeness and unity that show t he community to defend not only the earth, but also what one is
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14065
Appears in Collections:DSC - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_tese_mcfrota.pdf4,36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.