Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13779
Title in Portuguese: Avaliação da função renal em pacientes com imunodeficiência variável comum
Author: Capistrano, Giovany Gomes
Advisor(s): Libório, Alexandre Braga
Keywords: Imunodeficiência de Variável Comum
Acidose Tubular Renal
Rim
Issue Date: 2015
Citation: CAPISTRANO, Giovany Gomes. Avaliação da função renal em pacientes com imunodeficiência variável comum. 52 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas)- Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.
Abstract in Portuguese: A imunodeficiência comum variável (IDVC) forma um grupo heterogêneo de distúrbios caracterizados por deficiência de anticorpos. O envolvimento renal na IDVC é descrito apenas em casos clínicos, no entanto, não é possível determinar se todas essas manifestações clínicas associadas a lesões renais são diretamente relacionadas com IDVC ou apenas coincidências. Embora a mais apresentação mais comum de doenças renais seja com redução significativa do ritmo de filtração glomerular (RFG), quer na forma aguda (e geralmente reversível) ou crônica (quase sempre irreversível), várias disfunções podem também afetar a função renal tubular. O objetivo do presente estudo foi avaliar o padrão de função renal em pacientes IDVC através de testes de função glomerular e tubular. Além disso, nós medimos o monocyte chemoattractant protein (MCP-1) urinário, um biomarcador emergente para avaliar lesão inflamatória renal. Este é um estudo transversal de 12 pacientes com diagnóstico de IDVC, submetidos a acompanhamento clínico no Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará. O estudo foi realizado de janeiro a julho de 2014. Todos os pacientes com IDVC tiveram níveis normais de RFG estimada (eRFG) (>90mL/min/1,73m2), com mediana de 106ml/min/1,73m2 (intervalo 90-212). Para avaliar a integridade da barreira glomerular, a taxa de excreção urinária de albumina foi medida e todos tinham valores na faixa normal. Não houve diferença dos valores de MCP-1 urinário quando IDVC foram comparados com controles (47.914.5 vs. 42.17.1 pg/mg de creatinina, p=0,703). Comprometimento da capacidade de concentração urinária, como demonstrado pela razão entre osmolalidade urinária e plasmática (U/Posm) após 12h de privação de água e alimentos, foi observada nos pacientes com IDVC. No que diz respeito à acidificação urinária, enquanto todos os sujeitos de controle atingiram um pH urinário inferior a 5,3, nenhum paciente com IDVC diminui o pH urinário para tais níveis em resposta à sobrecarga ácida com CaCl2, caracterizando uma capacidade de acidificação urinária prejudicada. Nenhum paciente apresentou bicarbonato sérico basal sob 22mEq/L, não sendo possível diagnosticar acidose tubular renal completa. Este é o primeiro estudo a avaliar a função tubular e glomerular renal em pacientes com IDVC. Foram observadas deficiências em quase todos os pacientes em relação à capacidade de acidificação e concentração urinária. Em conclusão, foi realizada a avaliação renal mais completa até o momento em pacientes com IDVC. Não encontramos alterações na função glomerular ou inflamação. Entretanto, foi detectada elevada prevalência de disfunção tubular na IDVC, principalmente relacionada à capacidade de concentração e acidificação urinárias.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13779
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DMC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_dis_ggcapistrano.pdf1,48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.