Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12784
Title in Portuguese: O tempo que cura
Author: Mota, Maria Elisabeth de Albuquerque
Keywords: Tempo que cura
Poema
Poema de Adélia
Issue Date: 2003
Publisher: www.revistapsicologia.ufc.br
Citation: Mota, M. E. A. (2003)
Abstract in Portuguese: O poema de Adélia é como a Rosa de Dali que ao pairar suspensa no ar, medita, rosa vermelha desabrochada, porém calada; dispensou talos, folhas e até raízes, flutuando no espaço como se quisesse dizer que a salvação vem dali. Gosto da Rosa de Dali e do nome de Adélia por me lembrarem do enigma do tempo. Uma rosa que não está plantada na terra, não compõe um buquê, mas se implanta no céu e permanece muito viva desprezando o tempo que passa para realizar seu sonho de borboleta e voar, ela parece querer um novo nome e até, antes do nome, poderia estar. Antes do nome, antes da palavra, antes da escrita é o tempo do caos diz Adélia. Freud dizia que o tempo da interpretação é como o momento preciso em que o leão de um só golpe salta sobre a presa. Com Adélia dizemos, interpretar em tempo é como pegar um peixe com a mão.
Description: MOTA, Maria Elisabeth de Albuquerque. O tempo que cura. Revista de Psicologia, Fortaleza, v.21, n.1/2, 2003, p.111-115.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12784
metadata.dc.type: Artigo
ISSN: 2179-1740 (online)
0102-1222 (impresso)
Appears in Collections:DPSI - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2003_art_meamota.pdf520,43 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.