Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/11958
Title in Portuguese: Rastreamento positivo para depressão bipolar : um estudo em três unidades básicas de saúde
Title: Positive screening for bipolar depression : a study in three basic health units
Author: Nunes Neto, Paulo Rodrigues
Advisor(s): Carvalho, André Férrer
Keywords: Atenção Primária à Saúde
Transtorno Bipolar
Qualidade de Vida
Issue Date: 2013
Citation: NUNES NETO, Paulo Rodrigues. Rastreamento positivo para depressão bipolar : um estudo em três unidades básicas de saúde. 2013. 122 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.
Abstract in Portuguese: O Transtorno Bipolar é um transtorno psiquiátrico altamente prevalente e crônico, associado com substancial morbidade e mortalidade. Esta doença é caracterizada por episódios recorrentes de mania e depressão. Poucos estudos investigaram a prevalência de rastreamento positivo para depressão bipolar em serviços de atenção primária à saúde. Adicionalmente, pouco é conhecido sobre os correlatos da depressão bipolar, quando comparada com a depressão unipolar na atenção primária. Assim, esta pesquisa objetivou calcular a prevalência de rastreamento positivo para depressão bipolar entre pacientes atendidos em três unidades de atenção primária à saúde. Comparou-se, também, pacientes com rastreio positivo para depressão bipolar e unipolar. Este estudo transversal incluiu 1197 pacientes recrutados consecutivamente e que responderam a instrumentos de autorrelato para avaliar sintomas depressivos (Escala de Depressão do Centro de Estudos Epidemiológicos-CES-D), sintomas (hipo) maníacos (Questionário de Transtorno do Humor-QTH), qualidade de vida (WHOQOL-BREF) e um instrumento heteroadministrado sobre funcionamento (Escala de Avaliação Breve de Funcionamento-FAST). Comorbidade médica e uso de serviços foram avaliados com base em registros de prontuários médicos. Pacientes foram divididos em grupos com rastreamento positivo para depressão bipolar e unipolar com base em ponto de corte preestabelecido do QTH. A prevalência de rastreamento positivo para depressão bipolar foi 4,6% (n=55; IC 95% 3,4-5,8%), enquanto para depressão unipolar foi 18,6% (n=223; IC 95% 16.4-20.8%) dos pacientes. O grupo de depressão bipolar obteve escores mais altos na CES-D (32,6±9,8 vs 28,4±8,7), ideação suicida (36,3 vs 18,4%), comorbidade médica (47.3 vs 31,4%, com ≥ 2 comorbidades médicas), juntamente com pior qualidade de vida. Adicionalmente, pacientes com rastreamento positivo tiveram maior uso de serviços de saúde quando comparados com os rastreados positivamente para depressão unipolar. Em conclusão, esta pesquisa sugere que a prevalência de rastreamento positivo para depressão bipolar é alta em serviços primários da região Nordeste do Brasil e que um rastreamento positivo para depressão bipolar é associado com mais graves correlatos clínicos quando comparado com pacientes com rastreamento positivo para depressão unipolar. Estudos futuros prospectivos são necessários a fim de prover inferências causais sólidas.
Abstract: Bipolar disorder is a chronic and highly prevalent mental disorder, being associated with substantial morbidity and mortality. This illness is typified by recurring episodes of mania and depression. Only a few studies have investigated the prevalence of a positive screen for bipolar depression in primary care services, therefore, little is known about the correlates of bipolar depression, when compared with unipolar depression in the primary care. Thus, this survey aimed to compare the prevalence of a positive screen for bipolar depression among returning patients attending three Brazilian primary care centers. Patients with a positive screen for bipolar depression were also compared with those who had a positive screen for unipolar depression. This cross-sectional survey studied 1197 consecutive patients who had responded to self-report instruments accessing depressive symptoms (Center for Epidemiological Studies Depression Scale-CES-D) such as: (hypo) maniac symptoms (Mood Disorder Questionnaire-MDQ), quality of life (WHOQOL-BREF) and a hetero-administered tool accessing functioning (Functional Assessment Short Test-FAST). Medical comorbidity and use of health services were evaluated based on medical records. Patients were partitioned in bipolar and unipolar depression groups based on a pre-established cutoff point of the Mood Disorder Questionnaire. The prevalence of a positive screen for bipolar depression was 4.6% (n=55; CI 95% 3.4-5.8%), while a positive screening for unipolar depression was endorsed by 18.6% (n=223; CI 95% 16.4-20.8%) of patients. Only 10.9% (n=6) of those patients with a positive screening for bipolar depression were recognized by the general practitioner as having a bipolar illness. The bipolar depression group had higher scores in the CES-D (32.6±9.8 vs 28.4±8.7), suicidal ideation (36.3 vs 18.4%), medical comorbidity (47.3 vs 31.4% endorsing ≥ 2 comorbid medical illnesses), along with a worse quality of life. Furthermore, patients with a positive screen for bipolar depression had higher primary care service utilization when compared among patients with a positive screen for unipolar depression. In conclusion, this survey suggests that a positive screen for bipolar depression is highly prevalent in Brazilian northeastern primary care settings and a positive screen for bipolar depression is associated with more severe clinical correlates when compared with patients with a positive screen for unipolar depression. Future prospective studies are needed to provide solid causal inferences.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/11958
Appears in Collections:DMC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_dis_prnunesneto.pdf1,39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.